Xiaomi tem uma ideia para um smartphone como nunca viste

Bruno Coelho
3 comentários

A Xiaomi foi uma das fabricantes que trouxe para o mercado, e de certa forma conseguiu popularizar, smartphones com câmaras pop-up. Veja-se o exemplo dos Xiaomi Mi 9T ou do POCO F2 Pro.

A última ideia da fabricante chinesa foi registada em patente, e vai um pouco mais além. Isto porque além de permitir esconder a câmara frontal no mecanismo, também a junta a qualquer câmara traseira.

Nova patente da Xiaomi. Crédito: LetsGoDigital

Essa patente foi transformada em imagens elucidativas por parte do site LetsGoDigital. É aqui usado um espelho refletivo giratório, que permite que o utilizador possa ter imagens de qualidade, seja a partir da parte de trás ou da parte da frente.

A ideia é que o utilizador possa tirar fotografias nas duas direções com o mesmo sistema, economizando assim algum espaço. A tecnologia é descrita pela Xiaomi na patente registada a 7 de janeiro na WIPO (World Intelectual Property Office) como “câmara escondida”.

Nova patente da Xiaomi. Crédito: LetsGoDigital

A ideia aqui é que a câmara só esteja à vista quando estiver a ser usada. Caso o utilizador não esteja a utilizar as câmaras, o mecanismo mantém-nas retraídas no corpo do equipamento.

Como podes ver nas imagens, as lentes aparecem viradas para cima, e o módulo refletivo é usado para espelhar a imagem. Esse componente refletivo também gira, consoante o lado para o qual o utilizador queira fotografar.

Como qualquer patente, deves olhar para estes dados registados pela Xiaomi como apenas uma ideia. Trata-se de uma patente, e não é garantido que alguma vez este conceito venha a chegar ao mercado. Mas é bom ver que a Xiaomi pensa em vários conceitos, na procura pelo smartphone perfeito.

Editores 4gnews recomendam:

  • Xiaomi Mi 11 Pro vai ter zoom "que nunca mais acaba"
  • Xiaomi lança novo computador portátil com preço apelativo
  • Redmi Note 10: características e preço revelados antes de tempo
Bruno Coelho
Bruno Coelho
Vive entre a paixão pela escrita, a música e a tecnologia. Licenciou-se em Ciências da Comunicação na Universidade da Beira Interior em 2015, e fez parte da equipa que fundou o Jornal de Belmonte. Produziu vários podcasts independentes pelo caminho. Come especificações ao pequeno-almoço.