Xiaomi rejeita qualquer rumor sobre uma nova Mi Box com Android TV

Filipe Alves

A Xiaomi "não tem planos" para uma nova Mi Box com Android TV, as informações foram avançadas em primeira mão pela publicação AndroidHeadlines. O portal internacional obteria esta informação pós ter inquirido alguns representantes da fabricante chinesa por alturas do Mobile World Congress em Barcelona (MWC).

Durante o evento (congresso mundial de tecnologia), a empresa fundada por Lei Jun em 2010 aproveitou para apresentar a nova versão da Mi Box 4 e ainda a Mi Box 4c. Durante esta pequena apresentação (tendo em conta a escala do evento), surgiriam várias questões em torno do futuro da marca e dos dispositivos Android TV. A geração anterior, a Mi Box 3 fora apresentada em 2016 e depois da Mi Box 4 a marca não terá planos para um sucessor.

Vê ainda: Huawei P20, Huawei P20 Lite e Huawei P20 Pro, o alinhamento de luxo!

A fabricante revela-se descontente com a plataforma Android TV, algo que parecia estar em contra senso com outro dos produtos aí presentes. Refiro-me ao novo projector da marca, o Laser Projector que estava a utilizar a plataforma Android TV. Todavia, os representantes da marca seriam expeditos em clarificar que o produto fora especialmente programado. Utilizaria a Android TV apenas durante o evento.

Posteriormente chegará aos consumidores com o software da própria marca, o Mi TV da própria Xiaomi. Este é o mesmo software presente na Mi Box 4 e também na Mi Box 4c. Uma vez que o seu software apresenta todos os menus e janelas de contexto em mandariam (chinês), não faria muito sentido utilizar esse software na Europa. Essa foi a explicação fornecida à AndroidHeadlines.

Xiaomi não planeia apresentar outra Mi Box com Android TV

Olhando agora para este alinhamento de produtos. A Xiaomi Mi Box 3 seria apresentada em 2016. Foi recebida com bastante alvoroço uma vez que para um dispositivo Android TV custava apenas 69 dólares. Mais ainda, proporcionava a reprodução de conteúdos em 4K e HDR. Seria, contudo, assolado por vários problemas sendo a falta de suporte e atualizações o maior dos seus sarilhos. Apenas para citar um deles, a Xiaomi Mi Box 3 seria lançada com o sistema operativo Android 6.0 Marshmallow. Nunca recebeu uma versão estável com base no Android 7.0 Nougat.

O melhor que receberia foram umas quantas versões betamas nunca uma atualização estável e oficial para todos os modelos. E quanto a uma atualização para Android Oreo? Mais vale esquecer já isso. Como seria de esperar, os consumidores acabariam por se sentir desencorajados a comprar esta Mi Box 3 com Android TV.

Mais ainda, a Mi Box 3 deparou-se com vários bugs e erros que acabariam por ditar o desinteresse dos consumidores. Desde a procura por voz que deixou de funcionar para alguns utilizadores. A diferença absurda de performance na reprodução de conteúdos a 1080p Full-HD vs reprodução a 4K Ultra-HD. Já para não falar na pura incapacidade de ler muitas Pens's USB ou flash Drive's independentemente do seu formato.

Qual a culpa da Xiaomi com as suas Mi Box?

Note-se que estes problemas não inteiramente imputáveis à Xiaomi. Veja-se por exemplo o bem conhecido Netflix que também seria assolado por vários erros no passado Outono quando tentava reproduzir conteúdos na Mi Box 3. Entretanto a Netflix corrigiria estas mensagens de erro com uma atualização da sua App para Android TV.

Em suma, parecem existir erros, problemas e bugs em tudo o que seja relacionado com a Mi Box 3 da Xiaomi. Seja culpa da Xiaomi ou da Google pouco importa. Certo é que perante tantas imperfeições, erros e instabilidades os consumidores retrair-se-iam. Nem mesmo o preço em conta desta Android TV os terá feito mudar de opinião. Todavia, a marca garante que não desistiu desta Mi Box 3.

E tu, tens algum dispositivo Android TV da Xiaomi?

Assuntos relevantes na 4gnews:

Nokia 7 Plus esgotou em apenas 5 minutos…

Apple quer livrar-se da monocelha do iPhone X já em 2019

OnePlus 6 com ecrã 19:9, Android Oreo e com novo recorde na Antutu

Fonte |

Filipe Alves
Filipe Alves
Fundador do projeto 4gnews e desde cedo apaixonado pela tecnologia. A trabalhar na área desde 2009 com passagens pela MEO, Fnac e CarphoneWarehouse (UK). Foi aí que ganhou a experiência que necessitava para entender as necessidades tecnológicas dos utilizadores.