Xiaomi Mi 11 e iPhone 12 têm o mesmo preço, mas só para as marcas!

Rui Bacelar
Comentar

O Apple iPhone 12 é um dos flagships mais caros do mercado. Já o Xiaomi Mi 11 é um dos smartphones de gama alto mais acessível tendo em conta os valores praticados na China. Curiosamente, ambos os dispositivos custarão o mesmo a ser produzidos.

Segundo avança o analista Pan Jiutan, fonte respeitada junto do mercado chinês, o custo de produção de ambos os dispositivos móveis será idêntico, ou mesmo igual. A voz deste analista soma-se a relatos prévios que sugeriam o mesmo enquadramento.

O mesmo custo de produção nos Xiaomi Mi 11 e Apple iPhone 12

Apple iPhone 12 azul
O iPhone 12 da Apple foi apresentado em outubro de 2020.

O lançamento que deu nome à mais recente geração de iPhones, o Apple iPhone 12 custará perto de 373 dólares - perto de 304 euros - a ser produzido - custo total dos componentes empregues. Valores à atual taxa de conversão de dólares para euros.

Já o Xiaomi Mi 11 também terá um custo de produção a rondar os 370 dólares, ou cerca de 300 euros. Note-se ainda que a direção da Xiaomi afirma praticar uma margem de lucro fixa nos 5% aplicada aos seus smartphones e dispositivos móveis.

Assim, chegando ao mercado natal - a China - por cerca de 500 dólares, o Xiaomi Mi 11, face ao valor de produção (370 dólares), há um acréscimo de 250 dólares. Algo que nos leva a questionar a exequibilidade e veracidade da referida margem de lucro máxima de 5%.

O custo para o consumidor é de 500 e 700 dólares

Xiaomi Mi 11 azul
O Xiaomi Mi 11 foi apresentado em dezembro de 2020.

Atendendo ao custo de produção - perto de 370 dólares para ambos - o Apple iPhone 12 vê assim um acréscimo de 430 dólares. Já o Xiaomi Mi 11, face ao mesmo valor de produção, vê um acréscimo de 250 dólares, atendendo ao valor de venda ao público na China.

Vale ainda frisar que o valor referência para o Apple iPhone 12 foi o preço de venda ao público no mercado norte-americano. Aí, o novo iPhone é comercializado por 699 dólares, ao passo que na China o novo Xiaomi Mi 11 é vendido por pouco mais de 500 dólares.

O objetivo das fabricantes de smartphones é a otimização das margens de lucro, tal como qualquer empresa que visa a prossecução de lucros, tanto a Xiaomi como a Apple querem obter dividendos e proveitos. A extensão e forma como o fazem varia bastante.

A versão base do Xiaomi Mi 11 foi apresentado na China pelo equivalente a 501 euros. Já a versão mais apetrechada chega ao seu país natal pelo equivalente 589 euros à atual taxa de conversão de Yuan para Euros.

  • 8 GB/128 GB — 501 €
  • 8 GB/256 GB — 539 €
  • 12 GB/256 GB — 589 €

O custo de produção é apenas um de vários custos

Relembramos o leitor que o custo de produção é apenas uma vertente, um dos fatores que contribuem para a definição do preço recomendado de venda ao público. A este quesito - o somatório do preço das peças necessárias para construir um telemóvel - somam-se os custos de desenvolvimento, investigação, marketing, expedição, mão de obra e diversos outros encargos subsidiários como o preço da energia utilizada na fabricação, custos administrativos, serviços terciarizados, entre outros.

A nova geração de Apple iPhone terá usufruído de um aumento de expedições (vendas) durante o terceiro trimestre de 2020. Segundo os dados avançados pela agência de análise de mercado, Counterpoint Resarch, a Apple teve um crescimento de 21% face ao período homólogo de 2019. Mais ainda, grande parte deste sucesso foi atribuído ao crescimento da gigante norte-americana na China.

A mesma entidade prevê um novo recorde de vendas para a família iPhone 12 face ao aumento da procura, apontando até 51 milhões de unidades vendidas durante o primeiro trimestre de 2021, com a China a absorver 20% do volume das vendas da Apple.

Editores 4gnews recomendam:

Rui Bacelar
Rui Bacelar
Na escrita e comunicação repousa o gosto, nas leis a formação. É na tecnologia que encontrou o seu expoente máximo e na 4gnews a plataforma ideal para a redação e produção de vídeo.