Xiaomi investe em mais uma área de negócio inesperada

Mónica Marques
Comentar

Segundo informações agora reveladas, a Xiaomi tornou-se acionista de uma empresa dedicada à Realidade Virtual.

A empresa em questão foi cofundada pelo realizador de cinema Zhang Yimou e, a partir de agora, a Xiaomi junta-se aos restantes acionistas, dos quais a Lenovo também faz parte.

Xiaomi junta-se ao grupo de acionista da Sky Limit Entretainment que já inclui a Lenovo e Intel

Xiaomi instalações
A Xiaomi está a ampliar a sua área de negócio, investindo em várias empresas

Segundo o site PanDaily, a empresa afiliada da Xiaomi, Hanxing Venture Capital, acaba de investir e, consequentemente, tornar-se acionista da Sky Limit Entertainment. Esta poderia ser uma notícia que passava despercebida, não fosse o facto de esta última empresa ter como área de negócio a Realidade Virtual.

Este investimento poderá sugerir que a Xiaomi pretende ter um trunfo que poderá vir a utilizar no futuro. Pelo menos, assim o esperamos. Mas voltamos um pouco atrás para explicar mais pormenores deste negócio.

Com a entrada da Xiaomi para acionista, a Sky Limit Entretainment aumenta o seu capital para 75,7 milhões de yuan, ou seja qualquer coisa como 10,4 milhões de euros. Esta é uma empresa que fornece serviços baseados em Realidade Virtual, produção de conteúdo e entretenimento digital e foi cofundada pelo conhecido realizador chinês Zhang Yimou, em 2008.

Atualmente, a Sky Limit Entretainment conta com vários acionista nos seus quadros, onde se encontram nomes bem conhecidos do mundo da tecnologia como a Lenovo e Intel. Agora, a Xiaomi figura também neste quadro de "pesos pesados" da tecnologia.

Xiaomi detém empresa de gestão empresarial e amplia mais a sua área de negócio

Mas este não foi o único investimento da Xiaomi. Esta semana foi também noticiado que a empresa Wuhan Yibayiling Corporate Management Co., Ltd foi estabelecida na China e que é totalmente detida pela Xiaomi.

Esta empresa tem registado um capital social de 2 mil milhões de yuan, aproximadamente 275 milhões de euros, e dedica-se às áreas de gestão empresarial, consultoria de gestão empresarial e serviços de consultoria de informação.

De acordo com a Xiaomi, este investimento significativo também irá ajudar a impulsionar o desenvolvimento dos negócios da gigante chinesa.

Por outro lado, na divulgação dos resultados financeiros do terceiro trimestre de 2021, ficámos também a saber que a Xiaomi já investiu em mais de 360 empresas, com um custo de aproximadamente 59,1 mil milhões de yuan, ou seja 8,1 mil milhões de euros.

E, claro, não nos podemos esquecer que também hoje foi noticiado que a Xiaomi confirmou que vai construir a sua primeira fábrica de carros elétricos na cidade de Pequim. Ao que sabe, as instalações vão ter capacidade para produzir cerca de 300 mil veículos elétricos por ano. Imagine-se o investimento que a marca chinesa vai fazer aqui.

Editores 4gnews recomendam:

Mónica Marques
Mónica Marques
Como jornalista de tecnologia assistiu à chegada do 3G e outros eventos igualmente inovadores no mundo hi-tech ao longo de mais de 20 anos de carreira.