Xiaomi 12 pode ser o primeiro smartphone a usar este componente

Bruno Coelho
Comentar

À semelhança do que aconteceu no ano passado, a Xiaomi prepara-se para se antecipar à concorrência. A fabricante chinesa pretende fechar 2021 com o seu primeiro smartphone topo de gama para o próximo ano, e voltar a ser a fabricante a estrear o novo processador topo de gama da Qualcomm.

Segundo o leaker Digital Chat Station, a Xiaomi e a Motorola serão as primeiras duas fabricantes mobile a usar o Snapdragon 898. Embora ambas pretendam lançar smartphones antes do final do ano, este afirma que a Xiaomi será novamente a primeira do mercado a fazê-lo.

Xiaomi 12 deve estrear o Snapdragon 898. Segue-se um smartphone da Motorola

O que acontece habitualmente é que o processador topo de gama da Qualcomm para o ano seguinte é apresentado em dezembro. E nos últimos três anos Lei Jun, CEO da Xiaomi, apareceu na apresentação a confirmar que a Xiaomi seria a fabricante a estreá-lo.

O facto de a Motorola estar a preparar-se para ser a segunda fabricante a usar este processador é também um facto notório. Sem revelar o nome do equipamento, Digital Chat Station diz que o smartphone da Motorola com Snapdragon 898 também será apresentado até ao final de 2021.

Nas últimas horas o leaker Ice Universe partilhou aquelas que serão as alegadas pontuações do Snapdragon 898 na plataforma de benchmark Geekbench 5. Segundo a fonte, o mesmo consegue 1200 pontos em single-core e 3900 em multi-core.

Embora Ice Universe seja uma fonte credível, devemos olhar para estas pontuações com uma pitada de sal, até existirem imagens oficiais. Segundo estes números podemos esperar mais 15% de desempenho que o Snapdragon 888, e mais 5% que o Snapdragon 888+.

Editores 4gnews recomendam:

  • Misterioso smartphone revela principais detalhes do Snapdragon 898
  • Primeiro iPhone com USB-C do mundo já está à venda
  • GTA Trilogy: The Definitive Edition será mais ‘pesada’ do que estás à espera
Bruno Coelho
Bruno Coelho
Vive entre a paixão pela escrita, a música e a tecnologia. Licenciou-se em Ciências da Comunicação na Universidade da Beira Interior em 2015, e fez parte da equipa que fundou o Jornal de Belmonte. Produziu vários podcasts independentes pelo caminho. Come especificações ao pequeno-almoço.