O WearOS não é bom! Precisamos de um relógio da Google para o ver crescer!

Filipe Alves
3 comentários

Gostava de te dizer que a diferença entre um Apple Watch e um WearOS, sistema da Google para Android e iOS, não é muita. Mas tal não se verifica. Com o desaire do ecrã do meu iPhone X tenho vindo a utilizar um Xiaomi Mi Mix 3 como equipamento diário. Esta substituição obrigou-me também a deixar o Apple Watch de lado.

Já há uns anos que utilizava um Apple Watch como relógio diário. Mesmo depois de ter o Fossil, com WearOS, que a minha escolha ia pelo relógio menos elegante (Apple Watch). Isto porque o sistema é simplesmente melhor.

Relógio smartwatch WearOS Fossil

Está na hora de termos um relógio da Google

A história do WearOS é muito idêntica à do Android. O sistema Android começou a ganhar mais potência quando a Google apresentou os Nexus. Até lá, era uma confusão. Sistemas pouco otimizados, poucas atualizações e cada fabricante desenhava o seu sistema como queria e bem entendia. Isto levava a um péssimo desempenho nos smartphones com poucas especificações.

Aliás, a Google só recentemente retificou esse problema com o Android Go. Um sistema desenhado apenas para smartphones de gama baixa. Contudo, a empresa de Mountain View só olhou para este problema quase 10 anos depois de lançar o sistema Android. Isto porque só agora é que estão a fabricar hardware. Só agora é que se deparam com o problema.

Por isso é que está na hora de vermos um relógio da Google. Um verdadeiro smartwatch para que a empresa americana se possa aperceber que tem muito trabalho a fazer.

WearOS é um sistema pesado e cheio de swipes que ninguém precisa

No caso do meu Fossil, temos 3 botões laterais. 3 botões que quando se clica demora uma eternidade a abrir o que quer que seja. Isto porque o relógio vive de swipes. Ou pelo menos é o que eu entendo por isso. Pode ser das especificações? Pode e deve. Mas o software tem de ser mais leve. Lembro que este relógio (Fossil Explorist) conta com o processador Snapdragon Wear 2100. Um dos mais utilizados nos WearOS neste momento.

O menu em lista demora uma eternidade para encontrar o que quer que seja e as aplicações Android não estão preparadas para este produto.

Do lado da Apple estes problemas não existem. Cada aplicação tem definições próprias. A gestão da "coroa" do relógio é quase perfeita e o outro botão serve para multitarefas. O WatchOS é rápido e faz o que promete. Este WearOS lembra-me o primeiro WatchOS. Lento e com falta de qualidade. Uma pena, porque acredito que ficarei com um smartphone Android por um bom tempo e não há um relógio do calibre do Apple Watch.

O WearOS é extremamente lento

Ainda que o relógio da Fossil tenha custado quase o mesmo preço do Apple Watch a sua utilização é frustrante. O WearOS é lento e fica pior com a utilização. As notificações demoram a chegar e nem sempre chegam.

Esse, ao contrário do que pensas, não é só um problema da Fossil e do relógio em questão. Mas sim da falta de apoio e demonstração do que um relógio com WearOS deve ser. A Google mudou o mercado com os Nexus e estamos à espera que o faça com um smartwatch. Até lá, se não tens um iPhone tens de viver na frustração do WearOS ou nas limitações dos sistemas da Samsung, Huawei ou Xiaomi.

Editores 4gnews recomendam:

3 comentários
Filipe Alves
Filipe Alves
Fundador do projeto 4gnews e desde cedo apaixonado pela tecnologia. A trabalhar na área desde 2009 com passagens pela MEO, Fnac e CarphoneWarehouse (UK). Foi aí que ganhou a experiência que necessitava para entender as necessidades tecnológicas dos utilizadores.