Vídeo mostra como serão os "Air gestures" no Google Pixel 4

Filipe Alves
Comentar

O Google Pixel 4, que será revelado de forma oficial no próximo dia 15, trará uma funcionalidade que não é propriamente nova mas que está a dar que falar.

Os "Air gestures" foram apresentados primeiramente no Samsung Galaxy S4 e rapidamente descontinuados. O objetivo passa pelo utilizador interagir com o smartphone sem que o tenha de tocar. Ou seja, pequenos "acenos" acima do dispositivo e o smartphones responde.

Vídeo dos Air gestures do Google Pixel 4 no Spotify mostram um exemplo

Este vídeo é o perfeito exemplo de como é que os "Air Gestures" funcionarão. Tal como aconteceu com o Samsung Galaxy S4, a interação será pequena. Deslizar para uma nova música, ou fazer o deslize numa página web.

Fala-se, contudo, que o Google Pixel 4 contará com uma funcionalidade que quando pousado em cima da mesa, poderás passar a mão por cima do equipamento e te mostrará as notificações.

Google Pixel 4

A questão da privacidade é fundamental. Como é que o smartphone vai perceber que és tu a passar a mão para ver as notificações e não outra pessoa?

Segundo as informações, a Google utilizará um reconhecimento facial que funcionará mesmo quando o smartphone está pousado e conseguirá identificar a cara antes de mostrar o conteúdo das notificações.

O que esperar do Google Pixel 4

Em síntese, o Google Pixel 4 será um topo de gama a considerar se gostas de Android puro. Contudo, não nos parece que chegará com o mais recente processador (Snapdragon 855+) nem nos oferecerá um preço tão convidativo quanto os concorrentes OnePlus 7T.

Teremos de esperar para ver. Estou entusiasmado porque acredito que este possa ser o primeiro Google Pixel a chegar a Portugal de forma oficial. Esperemos que tal aconteça.

Editores 4gnews recomendam:

Comentar
Filipe Alves
Filipe Alves
Fundador do projeto 4gnews e desde cedo apaixonado pela tecnologia. A trabalhar na área desde 2009 com passagens pela MEO, Fnac e CarphoneWarehouse (UK). Foi aí que ganhou a experiência que necessitava para entender as necessidades tecnológicas dos utilizadores.