UMIDIGI A5 Pro Review: o telemóvel barato que não desilude!

Rui Bacelar

O UMIDIGI A5 Pro foi uma surpresa maioritariamente positiva. A fabricante chinesa é conhecida em Portugal pelos telemóveis baratos, bons e desbloqueados, com o modelo em análise a fazer jus a essa reputação e custar cerca de 120 €.

O A5 Pro reúne vários dos atributos mais cobiçados em 2019, desde o ecrã grande, com a notch em forma de gota de água, à construção cuidada e à câmara tripla, na traseira. Se vale o que custa? Sim, mas tem alguns compromissos.

Umidigi A5 Pro

Pontos fortes do UMIDIGI A5 Pro

  • Qualidade de construção soberba para um smartphone barato
  • Ecrã grande, com boa resolução e margens pequenas
  • Especificações promissoras para o segmento
  • Interface próxima do Android puro / Android One
  • Autonomia que não desilude (cerca de 2 dias)

Pontos fracos do UMIDIGI A5 Pro

  • Altifalante notoriamente mau (sem graves)
  • Desempenho deixa a desejar (taxa de frames reduzida na interface)
  • Em tráfego de dados (4G), a bateria cai rapidamente
  • Com algumas exceções, a câmara acaba por desiludir
  • Utiliza uma porta micro USB em 2019
  • Sensor de luminosidade automática pouco fiável

UMIDIGI

As especificações do UMIDIGI A5 Pro:

  • Ecrã: 6,3 polegadas com formato 19:9, LTPS
  • Resolução: Full-HD+ de 2280 x 1080 pixeis, com 400 ppp
  • Processador: Helio P23 da MediaTek, SoC com frequência máxima de 2,0 Ghz
  • Memória RAM: 4 GB
  • Bateria: 4150 mAh com carregamento rápido a 10 W
  • Armazenamento: 32 GB
  • Expansão de memória: Cartão microSD até 256 GB
  • Câmara traseira: Tripla (16 MP + 8 MP + 5 MP)
  • Câmara frontal: 16 MP
  • Conetividades: Dual SIM ou SIM + cartão microSD

A (boa) surpresa com este smartphone barato

Um smartphone ou telemóvel barato já não pode usar o preço de venda como desculpa para ser imprestável em algumas tarefas. O UMIDIGI A5 Pro é prova disso pelo ecrã Full-HD+ de grandes dimensões, pela ótima construção e design moderno.

Exige-se também um conjunto básico de conetividades e um nível mínimo de qualidade, por exemplo, nas chamadas telefónicas. Em 2019, pede-se ainda que se consiga correr jogos exigentes, ainda que nas definições mínima e este UMIDIGI não desiludiu.

Assim, é com um bom nível de satisfação que podemos jogar, usar as redes sociais, captar algumas fotografias e vídeos utilizáveis, além da bateria aguentar pelo menos um dia de bom uso. Este telemóvel desbloqueado faz tudo isso com 81 158 pontos na AnTuTu.

Qualidade de construção e escolhas de design dignas de nota!

UMIDIGI

O smartphone brilha neste quesito. Aponto-lhe apenas a ligeira folga nos botões laterais, metálicos, evidenciada por um ligeiro chocalhar dos mesmos. Ainda assim, o seu feedback tátil é bom e sabemos quando estamos a carregar em qualquer um deles.

O UMIDIGI A5 Pro testado é o modelo cinzento (Space Grey) e gostei da sobriedade desta cor. O telemóvel está também disponível em branco / pérola (Breathing Crystal), um gradiente de cor já familiar e muito em voga.

O design conta com cantos redondos, margens muito reduzidas, sem arestas salientes e um toque muito sólido, sem rangidos. Na traseira temos as câmaras em disposição vertical, além do leitor de impressões digitais, ao centro.

A sua construção utiliza o vidro e o metal como principais materiais, pesando um total de 203 gramas e com uma espessura máxima de 8,2 mm. Dito isto, é fácil utilizar o dispositivo com uma só mão e o seu design é moderno e elegante.

Por outro lado, o vidro traz consigo questões como a acumulação de impressões digitais e sujidades, sendo também mais propenso a riscos ou quebras. Felizmente, na caixa já temos uma capa de proteção em plástico TPU com uma forte textura.

As câmaras do UMIDIGI A5 Pro podem ser muito frustrantes

UMIDIGI
Câmara principal de 16 + 8 + 5 MP

É aqui que o UMIDIGI A5 Pro mais desilude. Temos três câmaras na sua traseira tal como manda a moda e acabamos por criar logo algumas expetativas. Infelizmente, na maior parte dos disparos, os resultados deixam muito a desejar, outros nem tanto.

A câmara principal, de 16 MP é acompanhada pela secundária, de 8 MP (grande angular) e por uma terceira câmara, de 5 MP, usada apenas para desfocar o fundo da imagem no modo de retrato. Até aqui, tudo bem, é uma configuração teoricamente promissora.

Na prática, os resultados são imprevisíveis. Ao passo que a câmara principal consegue resultados já bastante agradáveis, até em condições de pouca iluminação, quando utilizamos o sensor secundário a degradação da qualidade é gritante.

Temos ainda o terceiro sensor, utilizado para fotografias de retrato, criando o efeito de desfoque de fundo bokeh. Os resultados são mistos, conseguindo-se uma separação entre o plano principal e o de fundo, mas sem grande respeito pelos contornos.

Em síntese, do utilizável e agradável, ao horrível, lento e desfocado, temos aqui um misto de resultados. Há uma qualidade mínima assegurada, daí a nota ainda positiva, mas a adição de mais câmaras não traz mais qualidade, pelo contrário neste caso.

UMIDIGI
A câmara frontal de 16 MP no notch

A câmara frontal de 16 MP não desilude, mas mais uma vez, mostra que foi concebida para providenciar um nível mínimo e aceitável de qualidade, não mais que isso. O mesmo pode ser dito quanto aos resultados da gravação de vídeo em Full-HD a 30 fps.

Sensores escolhidos para a câmara traseira:

  • 1.º sensor: Sony IMX398 com 16 MP
  • 2.º sensor : Samsung S5K2P7 com 8 MP (ultra grande angular)
  • 3.º sensor auxiliar / terciário: não especificado, com 5 MP

Sensores escolhidos para a câmara frontal:

  • Não especificado, de 16 MP

Vê exemplos de fotografias e vídeos aqui

A experiência de câmara fotográfica é empobrecida pela aplicação de câmara nativa neste UMIDIGI.Temos 4 modos principais: Estéreo; Beauty; Imagem; Vídeo, logo acima do botão de obturador. No topo, temos a barra com opções rápidas como o modo HDR.

O modo Estéreo mais não é que o modo de retrato, utilizando aqui a terceira câmara de 5 MP para criar um efeito bokeh que consegue separar o plano principal do fundo. Já o modo Beauty consiste no embelezamento do rosto, o Imagem é o modo normal e o Vídeo, disponível tanto para a câmara principal como a grande angular, permite-nos gravar vídeos a 1080p.

O ecrã do UMIDIGI A5 Pro é uma ótima surpresa

UMIDIGI
Ecrã com bom brilho, resolução e representação de cores

Para um telemóvel barato, em torno dos 120 € não estava à espera de surpresas. No entanto, com 6,3 polegadas de diagonal, cantos arredondados, um notch em forma de gota de água e resolução Full-HD+, as minhas expetativas foram superadas.

Com muito brilho - facilitando a utilização ao ar livre - não há razões de queixa quanto ao ecrã. Foi realmente uma das maiores surpresas positivas, maculada apenas pelo sensor de luminosidade automática, um tanto errático.

Em síntese, há um belo ecrã LTPS 19:9 para ser desfrutado neste telemóvel barato e isto é algo que muito raramente podemos dizer. Tem um revestimento em vidro 2.5D, ligeiramente curvo nas suas margens, com arestas bem suaves.

A simples e intuitiva Interface de Utilizador

UMIDIGI
Sistema operativo Android 9.0 Pie

A simplicidade da interface de utilizador do UMIDIGI A5 Pro é uma grande vantagem do telemóvel. Mantém-se fiel ao Android puro e isto significa que o software não sobrecarrega o hardware. Algo particularmente importante nesta faixa de preços.

Dito isto, desde o acesso à lista de aplicações, os scrolls pelos menus e os tons de toque e de sistema, tudo aqui está simples, eficaz e muito intuitivo. Com a recente versão do sistema operativo Android, a 9.0 Pie, aqui só temos a dizer bem.

A UMIDIGI não inclui aplicações próprias ou de terceiros a não ser o "DuraSpeed", um software que promete ajudar a melhorar o desempenho das aplicações e pode ser encontrado dentro das Definições, mas por norma vem desativado.

Em síntese, qualquer pessoa que já tiver utilizado um smartphone Android se sentirá à vontade com este equipamento, tal como os primeiros utilizadores. Esperamos apenas que o terminal continue a receber atualizações de software e segurança.

O desempenho é geralmente aceitável no UMIDIGI A5 Pro

UMIDIGI
Mais de 80 mil pontos no AnTuTu v7.2.3

Conseguiu superar as minhas expectativas iniciais para um telemóvel barato. Dito isto, temos um Helio P23 da MediaTek com 8 núcleos de processamento e uma frequência máxima de 2.0 Ghz com 4 GB de memória RAM. Bastante promissor.

Há, infelizmente, uma percetível diminuição da taxa de quadros ou frames ao fazer um simples scroll pelo menu de aplicações. Nem sempre isto se verifica, mas quando sucede a utilização do smartphone torna-se longe de perfeita, ainda que continue fluido.

Temos uma sensação de que o terminal está a esforçar-se para manter a fluidez, mas que de certa forma não consegue "correr" como os demais, algo que só pode ser atribuído ao processador. Ao fechar as aplicações abertas isto melhora ligeiramente.

Assim sendo, estamos perante um telemóvel perfeitamente utilizável em 2019, seja para comunicações como para redes sociais, ou ver vídeos e usufruir de alguns jogos. O seu desempenho consegue surpreender, ainda que por vezes apresente falhas.

Para jogos o UMIDIGI A5 Pro não é o equipamento ideal. Não só este aquece notoriamente, como também voltamos a sentir a diminuição na taxa de frames, sobretudo em títulos mais pesados como o PUBG Mobile, mas não no Free Fire (mais leve).

Extras a considerar: autonomia, carregamento e altifalante

UMIDIGI
Altifalante, entrada micro USB, microfone principal e entrada P2

O terminal conta com uma sólida bateria de 4150 mAh com carregamento a 10 W e por norma conseguimos dois dias de utilização normal com este telemóvel. Já com uma utilização intensa, alguns jogos e sempre no 4G, temos autonomia suficiente para 1 dia.

A qualidade das chamadas é bastante aceitável, sem queixas em ambos os lados da linha. Apontamos ainda como positiva a existência da porta P2 para ligação dos auriculares, ao passo que a porta micro USB já não devia ser utilizada em 2019.

O leitor de impressões digitais, na traseira, é uma forma rápida e eficaz de desbloquear o smartphone. Podemos também tirar proveito do reconhecimento facial, além dos métodos convencionais como o PIN, padrão e/ou password.

Ainda assim, é o fraco altifalante que mais impacto causa neste telemóvel barato. Seja ao ver um vídeo no YouTube, ao jogar, ver filmes ou fazer uma chamada em alta voz, a região dos graves está ausente. Algo que se pode revelar particularmente frustrante.

Concluindo, este é um telemóvel barato muito competente em 2019

A pontuação tem em consideração o preço atual do smartphone. Não podemos esperar o mesmo de todos os equipamentos sem ter em conta o seu preço de venda ao público. Para que um smartphone seja aprovado pela 4gnews tem que obter uma pontuação igual ou superior a 7.5.

O UMIDIGI A5 Pro pode ser adquirido, na versão europeia, através da TomTop com o preço a rondar os 120 €.

Escolhas de Design 8.5
Qualidade de Construção 8
Ecrã 8
Desempenho 6
Interface / UI 8
Câmara 5
Autonomia 8
Qualidade / Preço 9

UMIDIGI

Se tens um orçamento baixo e precisas de um novo equipamento vê a nossa seleção dos melhores telemóveis baratos.

Rui Bacelar
Rui Bacelar
Na escrita e comunicação repousa o gosto, nas leis a formação. É na tecnologia que encontrou o seu expoente máximo e na 4gnews a plataforma ideal para a redação e produção de vídeo.