Uber Eats: motoristas no México protestam contra condições de trabalho devido a mortes e lesões

António Guimarães
Comentar

Não é fácil ser motorista de Uber Eats no México. Nos últimos 6 meses, pelo menos 5 motoristas foram vítimas mortais de colisões na estrada. Cerca de mais 12 motoristas sofreram lesões variadas.

A situação está tão agreste que os motoristas da Uber Eats estão em protesto. Aos motoristas da plataforma juntaram-se os da Rappi, a app colombiana que compete com o Uber Eats.

Motoristas de outras apps como Glovo e Caviar tem sofrido acidentes fatais ou lesões em mais países da América latina como Argentina e Chile. Em Espanha e alguns estados dos EUA também foram relatados acidentes.

Motoristas de aplicações de entrega de comida correm grandes riscos

Os motoristas no México estão extremamente descontentes, exigindo melhores condições de trabalho. Os ordenados são instáveis, o seguro de saúde é praticamente inexistente, o que agrava ainda mais os riscos de morte e lesão.

A maioria dos motoristas trabalha de forma não-oficial, recebendo o ordenado 'debaixo da mesa'. A lei mexicana não ajuda muito estes trabalhadores pois aos olhos do governo, eles são freelancers, sem os benefícios de um trabalhador normal.

Acidentes já com motoristas de Uber Eats já se tornaram habituais nas cidades do México. Motoristas sofrem ossos partidos, motas destruída ou danificadas e ainda assaltos à mão armada durante as entregas. Tudo isto para receber entre 30 a 60 pesos por entrega (1.40€ a 2.79€).

No México, 13 pessoas em cada 100 mil morrem na estrada

O México tem uma taxa de mortalidade na estrada mais elevada que os Estados Unidos. Além disso, é extremamente fácil ser motorista de Uber Eats, só precisam de ter a app, uma mota e fazer o registo. Assim sendo, existem centenas de motoristas diariamente a fazer entrega, agravando a situação rodoviária do país.

A Uber não está a fazer muito para melhorar a situação

A Uber parece ter uma abordagem de "lavar as mãos do assunto". Isto porque de acordo com o The Verge, 5 motoristas lesionados no trabalho pediram compensação à Uber, sem resposta. Existem ainda as famílias dos motoristas falecidos, que continuam a aguardar resposta da empresa.

Adicionalmente, os motoristas e as famílias afetadas não tem como pagar a advogados para colocar a Uber em tribunal. É de facto uma situação lamentável, causada pelas condições do país e impulsionada pela Uber.

Editores 4gnews recomendam:

Comentar
António Guimarães
António Guimarães
Juntamente com os seus atuais companheiros Mi A2 e Surface Go, batalha para elucidar as massas sobre todos os acontecimentos da esfera tecnológica. "Informação é poder" é a frase que o acompanha diariamente. Talvez um dia a coloque numa t-shirt.