Telemóvel com maior bateria de sempre fracassa em crowdfunding

António Guimarães

A Energizer, juntamente com a Avenir Telecom, colocaram um telemóvel na plataforma de crowdfunding Indiegogo, com objetivo de conseguir financiamento para lançar o telemóvel. Infelizmente para a Energizer, apenas 15 mil dólares foram angariados, num objetivo de 2 milhões.

Intitulado de Energizer P18K, o telemóvel possui uma bateria massiva de 18.000 mAh. Em perspectiva, uma bateria típica em smartphone possui entre 3.000-4.000 mAh. A Energizer apontou para uma autonomia de 7 dias, aproximadamente.

p18k

Este não seria o primeiro smartphone da Energizer embora fosse o primeiro com este tamanho. Outros modelos possuem designs convencionais mas sem especificações que surpreendam.

Na verdade, apenas 11 pessoas decidiram apoiar o projeto financeiramente. Com cerca de 15 mil dólares angariados, isto representa uma ridícula percentagem de 1% de financiamento.

O fracasso do P18K não deve ser surpresa para ninguém

Em primeiro lugar, colocar o futuro de um telemóvel tão invulgar nas mãos de financiamento do público é uma má ideia. Com um produto deste aspecto, é óbvio que ninguém iria apostar.

Mesmo que não nos foquemos no aspecto do smartphone, as características restantes não surpreendem muito. Seria de esperar que um corpo deste tamanho fosse possível incluir componentes mais potentes e atraentes para o consumidor.

Tínhamos um ecrã de 6.2 polegadas, uma configuração 6GB/128GB alimentados pelo processador MediaTek Helio P70. O factor mais atraente do smartphone além da bateria era a sua câmara pop-up.

Tudo isto num corpo gigantesco sem qualquer tipo de praticidade ou ergonomia. Seria impossível transportar este telemóvel no bolso. O utilizador teria de recorrer a uma mala ou mochila o que contraria o objetivo de um telemóvel: fácil portabilidade.

Não percebo como é que um smartphone destes chegou a ser feito sequer. Nem nos universos paralelos do Rick and Morty faz sentido existir tal aparato. Além de que 18.000 mAh de bateria num corpo tão grande não é assim muito impressionante.

A Oukitel tem uma alternativa mais ergonómica

Marcas como a Oukitel já lançaram equipamentos com autonomias elevadas e formatos que em nada se assemelham ao rídiculo do P18K. O modelo K10 é um excelente exemplo.

Embora robusto na sua estrutura, é um telemóvel com uma bateria de 11.000 mAh, onde utilizadores mais moderados devem conseguir obter facilmente 2 a 3 dias de utilização. Este Oukitel K10 pode ser comprado por pouco mais de 200 euros, actualmente.

Editores 4gnews recomendam:

António Guimarães
António Guimarães
Juntamente com os seus atuais companheiros Mi A2 e Surface Go, batalha para elucidar as massas sobre todos os acontecimentos da esfera tecnológica. "Informação é poder" é a frase que o acompanha diariamente. Talvez um dia a coloque numa t-shirt.