Telegram com publicidade? Vai mesmo acontecer!

Abílio Rodrigues
Comentar

A aplicação de mensagens instantâneas Telegram vai mudar a sua forma de financiamento a partir do próximo ano, segundo anunciou o seu fundador Pavel Durov.

Durov revelou ainda que o Telegram já tem cerca de 500 milhões de utilizadores, e que terá de se socorrer dos mesmos para manter a plataforma viável.

Telegram com número recorde de utilizadores

Telegram

O executivo afirma que o crescimento exponencial da aplicação implica custos que ele já não está a ser capaz de suportar, e que está à procura de formas de monetizar o Telegram.

Para Durov, um projeto da dimensão que a aplicação atingiu precisa de algumas centenas de milhões de dólares para continuar a oferecer a mesma qualidade de serviço.

Para já, a forma encontrada parece ser a criação de uma plataforma de publicidade para os seus canais públicos. No entanto, a companhia pretende que esta seja o menos intrusiva possível, respeitando sempre a privacidade dos utilizadores.

A utilização de publicidade nos canais públicos one-to-many permitirá ainda aos seus criadores receber tráfego proporcional à sua dimensão. A ideia dos responsáveis pelo Telegram passa também pela disponibilização de stickers premium com funcionalidades de expressão adicionais, com parte das receitas a reverterem para os seus criadores.

Em suma, a ideia é explorar a dimensão do Telegram como rede social, e estes passos podem muito bem aproximar a plataforma das outras já existentes. A diferença será mesmo a intenção de não permitir que a monetização interfira com a segurança e privacidade características da aplicação.

Fundador do Telegram critica WhatsApp

Durov ressalva que as atuais funcionalidades do Telegram continuarão a ser gratuitas, aproveitando para criticar o facto dos criadores do WhatsApp terem vendido a sua plataforma ao Facebook. Para ele, esse negócio distorceu por completo a visão original do projeto, entregando-o a uma das marcas mais criticadas por violações de privacidade.

Apesar de querer que o Telegram comece a fazer dinheiro já a partir de 2021, Durov afirma ter noção de que o mundo precisa de um local independente onde exista respeito por todos, com uma qualidade de serviço acima da média.

Mesmo que exista a necessidade de faturar, fica a promessa de que tudo será feito de acordo com os valores que colocaram a empresa onde está hoje e que a maior parte dos utilizadores nem sequer vai dar pela diferença.

Editores 4gnews recomendam:

Abílio Rodrigues
Abílio Rodrigues
Apaixonado por tecnologia desde que montou o seu primeiro computador, continua em fase lua-de-mel com tudo o que envolva um processador e permita umas sessões videolúdicas.