Os smartphones preferidos da equipa 4gnews em 2020 (Seleção do Abílio)

Abílio Rodrigues

O ano que agora termina marca um período menos positivo na indústria de smartphones, com um decréscimo generalizado de vendas a que quase nenhuma marca escapou.

As dificuldades impostas pela pandemia traduziram-se numa aposta mais reduzida na criatividade, atirando talvez para os próximos meses a chegada de equipamentos de maior valor para o público geral.

Mesmo assim, a vida não pára e nem a COVID-19 impediu a oferta de novidades atrativas para qualquer bolso ou gosto pessoal. Ainda não foi desta que abandonei o meu fiel iPhone X, mas confesso que pela primeira vez senti o "bichinho" de trocar de smartphone, algo que pode estar mais perto de acontecer do que aquilo que gostaria.

A lista que se segue tem como objetivo partilhar convosco os smartphones que mais despertaram a minha curiosidade em 2020, seja pela adição de novas funcionalidades ou até pelo design arrojado num ano que será, acredito, de viragem para o setor.

Asus ROG Phone 3

Asus ROG Phone 3

A terceira iteração do smartphone gaming da Asus representa um salto qualitativo relevante em relação ao modelo anterior, e veio cimentar posição dominante da marca no segmento de equipamentos dedicados ao mobile gaming.

O ecrã AMOLED com taxa de atualização de 144Hz e HDR10+ fazem desta a arma perfeita para quem joga no telefone, sem esquecer a autonomia reforçada em relação aos predecessores. Se a isto juntarmos um processador topo de gama e compatibilidade com os acessórios do ROG Phone II, temos um pacote perfeito para este cenário de utilização.

Xiaomi Poco X3 NFC

Xiaomi POCO X3 NFC

O Poco X3 NFC deve reunir algum consenso em relação a qual o melhor gama-média do ano. Com um preço a rondar os €200, é difícil encontrar melhor.

Fluidez de desempenho, ecrã IPS com taxa de atualização de 120Hz, carregamento rápido a 33W e um bom conjunto de câmaras fazem deste smartphone uma escolha certeira para quem não pretende gastar muito dinheiro.

OnePlus 8 Pro

OnePlus 8 Pro

No que diz respeito aos topo de gama Android, acabei por recomendar vezes sem conta o OnePlus 8 Pro a amigos e familiares que não se dão com os interfaces de utilizador cozinhados a partir do Android puro. Não é fácil encontrar uma UI tão intuitiva que não desvirtue a experiência imaginada pela Google quanto o OxygenOS, ainda por cima agora com carregamento wireless 30W, ecrã AMOLED com resolução Quad-HD+ e chip dedicado à diminuição do infame ghosting (arrastar da imagem).

É ainda muito competente no capítulo da fotografia e captura de vídeo, equipado com uma das melhores configurações de câmara de 2020. O preço foge um bocado à proposta original da OnePlus, mas o 8 Pro é perfeito para quem deseja o melhor do Android, sem qualquer tipo de compromisso, especialmente ao nível do software.

LG Wing

LG Wing

O revolucionário smartphone da LG destaca-se especialmente pelo seu design arrojado, num ano marcado pelos dobráveis que, no meu entender, deixam ainda muito a desejar em termos de praticabilidade. O segundo ecrã rotativo permite várias configurações de visualização e utilização, apresentando uma versatilidade incomum num dispositivo deste género.

Sim, é caro e não oferece as especificações mais topo de gama, mas estabelece o tom para maior inovação neste mercado onde todas as marcas parecem seguir as ideias umas das outras. Num mar de cópias, a LG atreveu-se a ser diferente, e merece por isso o meu reconhecimento como smartphone mais inovador de 2020.

iPhone 12 Mini

iPhone 12 Mini

O melhor smartphone que tive a oportunidade de experimentar durante este ano foi a versão Mini do novo iPhone da Apple. O regresso ao design da época do saudoso iPhone 4 num formato reduzido transformou-se em paixão à primeira vista, sendo o primeiro smartphone desde 2017 a fazer-me considerar abdicar do iPhone X que diariamente carrego no bolso.

Há vários anos que pedia um iPhone mais pequeno, mas recusava-me a abdicar de um ecrã OLED quase sem margens e de todas as funcionalidades e características de um topo de gama.

A Apple conseguiu reunir num único telefone tudo aquilo que ambicionava, mas a incerteza em relação à autonomia leva-me a esperar mais um ano até tomar a decisão de fazer o upgrade, caso o futuro processador A15 Bionic consiga garantir mais umas horas de utilização durante o dia.

Acompanha-nos para saberes quais as escolhas de toda a equipa durante os próximos dias.

Editores 4gnews recomendam:

Abílio Rodrigues
Abílio Rodrigues
Apaixonado por tecnologia desde que montou o seu primeiro computador, continua em fase lua-de-mel com tudo o que envolva um processador e permita umas sessões videolúdicas.