greens-note-7

A Samsung continua a debater-se com o processo de recolha e substituição dos lotes iniciais do seu phablet Galaxy Note 7, contudo, é bastante preocupante quando um dos novos equipamentos, marcado como seguro, acaba por explodir. Pior ainda, as palavras explosão e avião na mesma frase bom…dispensa comentários.


Um pesadelo que teima em não acabar, desta vez foi o senhor Brian Green, passageiro e dono do Galaxy Note 7 em questão que sofreu este incidente e, prontamente o relatou ao “The Verge” (fonte) com detalhes preocupantes. Segundo o seu relato dos acontecimentos, o Galaxy Note 7 terá sido adquirido no dia 21 de setembro nos EUA já com a denominação de “seguro”, tal como pode ser comprovado pela caixa do equipamento.

Vê também: Samsung Portugal emite comunicado oficial sobre o Recall e substituição do Note 7

   
O pequeno quadrado preto identifica esta unidade como "segura".
O pequeno quadrado preto identifica esta unidade como “segura”.

Ora, então o que terá causado esta explosão do Galaxy Note 7? De acordo com o seu dono, ele terá colocado o dispositivo no seu bolso enquanto entrava no avião e, pouco depois, reparou num fumo esverdeado proveniente do seu bolso. Agindo rapidamente, atirou o Galaxy Note 7 para o chão onde, pouco depois, o equipamento irrompeu em chamas e chamuscou a carpete do avião. O nível de carga do phablet estaria nos 80% e, como estava no seu bolso, não estava a ser carregado (situação que tem causado a maioria das explosões).

Mais ainda, o senhor Green afirma que utilizou sempre o carregamento wireless, isto é, carregamento sem-fios em vez do típico carregamento por cabo (neste caso, USB do Tipo C). Pelos vistos nem isto evitou que mais um Galaxy Note 7 explodisse, ainda por cima uma unidade que terá sido substituída pela marca e vendida como sendo “segura”.

Como é que um Galaxy Note 7 substituído se incendeia?

Custa a acreditar que uma unidade substituída volte a sofrer desta maleita mas, segundo a "The Verge" que verificou o IMEI específico do Galaxy Note 7 e constatou que este equipamento era, de facto, uma nova unidade e não deveria existir qualquer motivo para alarme. Esta já não é a primeira vez que uma unidade "segura" do Galaxy Note 7 explode e caso se verifiquem mais situações destas a marca pode ter mais um escândalo em mãos, tanto financeiro como a nível de confiança do público.

Vê também: Agora é a vez do iPhone 7 explodir 

Este caso, apesar de parecer bastante claro, ainda precisará de ser verificado pela própria Samsung que já terá pedido o Galaxy Note 7 em questão para estudo e apuramento das causas. De qualquer forma, e sem grande surpresa, o senhor Brian Green já terá adquirido um novo Apple iPhone 7 (que também já não é imune a explosões).

Talvez queiras ver:

Viv, a “irmã” mais nova e inteligente da assistente virtual Siri

Vê uma das conversas que a Inteligência Artificial Tay teve e nos deixou a questionar a sua sanidade

Google Assistant abrirá aos desenvolvedores dentro em breve

ViaGizModo
FonteThe Verge

Quando não está a escrever um artigo ou a gravar algum vídeo, o Bacelar tem por hábito saborear um bom livro, descobrir novas bandas sonoras ou simplesmente desfrutar do sol, na companhia de quem mais gosta (MM).