Samsung Galaxy A31 chega a Portugal com uma super bateria e um preço apelativo

Filipe Alves
3 comentários

A Samsung oficializou a chegada do Samsung Galaxy A31 a Portugal. O smartphone traz características relevantes a um preço convidativo à sua compra.

Ainda que não seja um topo de gama, com o preço a rondar os 320€, o novo telemóvel da Samsung tem bons argumentos para fascinar o utilizador que quer um telemóvel de qualidade com uma super bateria.

Samsung Galaxy A31 tem uma bateria de 5000 mAh

Samsung GAlaxy A31

O novo telemóvel chega com uma bateria de 5000 mAh. Isto significa que autonomia não será um problema. Claro que tudo vai depender da utilização do smartphone, porém, com estes números, é perfeitamente plausível que tenhas bateria para dois ou três dias.

Um ecrã grande e qualidade AMOLED

O ecrã de 6.4" polegadas é um outro argumento do Samsung Galaxy A31. O smartphone oferece a tecnologia AMOLED, ou seja, as cores serão mais intensas e vais garantidamente gostar. Além disso, este tipo de tecnologia de ecrã também te vai poupar autonomia.

De referir que este ecrã permite ainda que a Samsung introduza o sensor biométrico no ecrã do dispositivo. Não é normal ver tudo isto para um smartphone de 300€.

Especificações do Samsung Galaxy A31

  • Ecrã de 6.4" polegadas AMOLED
  • Sensor biométrico no ecrã
  • Processador Mediatek MTK6768 (Helio P65)
  • Memória RAM de 4GB
  • Memória interna de 64GB
  • Câmara principal de 48MP + 8MP + 5MP + 2MP
  • Câmara frontal de 20MP
  • Expansão via MicroSD até 512GB
  • Bateria de 5000 mAh
  • 15W de carregamento rápido

Podemos dizer que a única característica que podíamos ter melhorado era o seu processador. Ainda assim, o processador Helio P65 da MediaTek tem boas características para o preço do terminal. Principalmente, e tendo em conta, a tudo o resto que oferece.

Editores 4gnews recomendam:

Filipe Alves
Filipe Alves
Fundador do projeto 4gnews e desde cedo apaixonado pela tecnologia. A trabalhar na área desde 2009 com passagens pela MEO, Fnac e CarphoneWarehouse (UK). Foi aí que ganhou a experiência que necessitava para entender as necessidades tecnológicas dos utilizadores.