Resident Evil 2 Remake inspira a Capcom a explorar mais 'remakes'

Pedro Henrique

Resident Evil CapcomA Capcom é a companhia que recicla mais as suas IPs que qualquer outra, basta contar o número de plataformas para onde Resident Evil 4 foi lançado...

No entanto, por vezes, vão além do simples lançamento em plataformas mais recentes, como evidenciado pelo próximo Resident Evil 2 Remake. É um redesenhar completo do jogo, mas com um estilo semelhante ao do clássico lançado na PS1.

Vê ainda: Fortnite não chegará à Google Play Store! Mas chegará ao Android

A Capcom mostra-se bastante confiante em relação a Resident Evil 2 Remake. Esta afirma que poderão no futuro “explorar” mais remakes. No último relatório financeiro emitido, a Capcom respondeu a perguntas sobre o jogo.

Quando questionada sobre o seu potencial de vendas, a Capcom afirmou que é esperado, no mínimo, 1 milhão de cópias vendidas, reiterando as perspectivas dadas na E3 2018.

Capcom está confiante em relação a Resident Evil 2 Remake!

Estes números projetados inspiraram a companhia a reeditar e relançar mais títulos antigos, como a empresa disse previamente: "explorá-los ainda mais com uma panóplia de propriedades como parte da nossa estratégia de utilizar a nossa vasta biblioteca de IPs".

Isto é tudo muito apelativo, mas isto pode significar que a empresa pode começar a priorizar atualizações dos jogos clássicos de elevado sucesso, sem investir na criação de novas IPs, criando fadiga desnecessária no que toca aos clássicos.

Anteriormente, a Capcom lançava “ports” dos jogos das anteriores gerações, com alguns casos onde a Capcom agrupava os seus jogos mais antigos em coleções, cobrando “full-price”. A cavalgada das recentes coleções de Mega Man é prova disto mesmo.

Esperemos pelos clássicos de outrora…

Contudo, a diferença é que Resident Evil 2 Remake, como foi o caso do remake do primeiro Resident Evil para a Nintendo GameCube, está cheio de novos coletáveis e melhorias notáveis (falando do gameplay).

A Capcom reconheceu isto dizendo que tem de fazer “o máximo possível na reimaginação destes jogos para recriar o conteúdo como as pessoas se recordam, possibilitando um orçamento apropriado para os títulos em questão, direcionados para o mercado ocidental”.

Acredito que a Capcom acordou. É um grande esforço para trazer um jogo desta magnitude para a era moderna, apesar de ter muito pouco que se possa aproveitar. Espero é que não se limitem a remasterizar jogos da época de ouro da Capcom.

Assuntos relevantes na 4gnews:

WhatsApp para Android terá finalmente característica há muito prometida

Huawei vende mais smartphones com a ”notch” do que a Apple

Xiaomi Mi Notebook Pro 2 é o novo PC de topo da empresa chinesa

Artigo por Bruno Santos

Pedro Henrique
Pedro Henrique
Fã incondicional de tecnologia e cultura quer partilhar o conhecimento adquirido com todos.