Redmi K50 Ultra chega com sensor que fica aquém das expetativas

Mónica Marques
Comentar

Na sua apresentação de hoje, a Xiaomi teve também tempo para apresentar um novo elemento da submarca Redmi.

O K50 Ultra chegou hoje ao mercado, mas com um sensor de 108 megapixéis que fica aquém das expetativas que o situavam nos 200 megapixéis. Mas tem outros argumentos que podem fazer esquecer esta desilusão.

Processador, memória RAM e armazenamento

Redmi K50 Ultra
O novo Redmi K50 Ultra pode ser lançado na Europa como Xiaomi 12T Pro Crédito@Redmi/Weibo

Entre os sete novos produtos apresentados, também a submarca Redmi teve direito ao seu momento de glória no evento Xiaomi que se realizou hoje. E o protagonista foi o novo smartphone K50 Ultra que chega com especificações interessantes, mas que pode desiludir alguns entusiastas da fotografia.

No interior do novo terminal está o mais recente processador da Qualcomm, o Snapdragon 8+ Gen 1 que está emparelhado com 8 ou 12 GB d memória RAM. No armazenamento interno UFS 3.1, o modelo dispõe de três escolhas possíveis com 128, 256 ou 512 GB. Saliente-se ainda o sistema de refrigeração líquida VC integrado para manter o modelo a uma temperatura que não afete o seu desempenho.

Câmara de 108 megapixéis e não de 200 megapixéis

Os últimos rumores a circular no mundo Web indicavam já que a Xiaomi não ia incluir neste modelo o tão desejado sensor Samsung ISOCELL HP1 de 200 megapixéis e hoje confirmámos esta informação.

O Redmi K50 Ultra chega com um sensor primário Samsung, mas com o modelo ISOCELL HM6 de "apenas" 108 megapixéis, o que fica um pouco aquém das expetativas. Sobretudo depois de a Motorola, também hoje, ter lançado no mercado chinês o modelo X30 Pro com ISOCELL HP1 de 200 megapixéis. Parece que na guerra de sensores com mais resolução, a Motorola está a ganhar a corrida.

Mas as boas notícias é que o sensor HM6 do K50 Ultra conta com estabilização ótica de imagem e é complementado por um ultrawide de oito megapixéis e por um sensor macro com dois megapixéis de resolução. Na zona frontal conta com uma câmara de 20 megapixéis para videochamadas e selfies.

Bateria e sistema operativo

Um dos grandes destaques do novo Redmi K50 Ultra é, sem dúvida alguma, a sua enorme bateria de 5.000 mAh. Mas o melhor de tudo é que esta fornece suporte para carregamento rápido de 120 watts. Infelizmente, a marca não anunciou os tempos de carregamento do novo terminal, mas serão com certeza bastante rápidos.

O Redmi K50 chega a executar o sistema operativo Android 12, sob a interface MIUI 13. tendo em conta que acaba de ser lançado, no final do ano deve ser um dos terminais elegíveis para receber a grande atualização para a interface MIUI 14, baseada em Android 13.

Ecrã e outros recursos

Redmi K50 Ultra
O Redmi K50 Ultra tem também uma variante Champion Edition baseada na Mercedes-AMG Petronas F1 Team Crédito@Redmi/Weibo

O Redmi K50 Ultra vem também equipado com um ecrã OLED com 6,67 polegadas que fornece uma resolução de 2712x1220 pixéis e uma taxa de atualização de 120 Hz. Conta com suporte para Dolby Vision e HDR10 e uma proporção de 20:9.

De resto, o novo modelo Redmi inclui ainda Wi-Fi 6, NFC, colunas compatíveis com tecnologia Dolby Atmos, um motor de vibração linear no eixo x e um scanner para leitura de impressões digitais, embutido no ecrã.

Preço e disponibilidade

O K50 Ultra da Redmi chega às prateleiras das lojas chinesas no próximo dia 16 de agosto e será disponibilizado em várias variantes com os seguintes preços:

  • 8 GB + 128 GB - 2.999 yuans (cerca de 430 euros)
  • 8 GB + 256 GB - 3.299 yuans (cerca de 475 euros)
  • 12 GB + 256 GB - 3.599 yuans (cerca de 520 euros)
  • 12 GB + 512 GB - 3.999 yuans (cerca de 580 euros)
  • Champion Edition (12 GB + 512 GB) - 4.199 yuans (cerca de 610 euros)

Saliente-se que alguns rumores apontam para que este modelo chegue ao mercado europeu sob a designação Xiaomi 12T Pro.

Editores 4gnews recomendam:

Mónica Marques
Mónica Marques
Como jornalista de tecnologia assistiu à chegada do 3G e outros eventos igualmente inovadores no mundo hi-tech ao longo de mais de 20 anos de carreira.