Razer Huntsman V2 Analog review: à caça da perfeição

Abílio Rodrigues
Comentar

A Razer ocupa uma posição privilegiada no mercado de teclados com missão de proporcionar aos fãs de videojogos o melhor desempenho possível. A jornada da marca no mundo dos teclados mecânicos começou com o icónico BlackWidow, mas foi a linha Huntsman que catapultou a Razer para um nível que poucos se podem gabar de ter atingido.

A companhia tem experimentado várias fórmulas nas suas mais diversas linhas de teclados, mas o resultado da sua investigação e desenvolvimento é levada ao expoente máximo com os Huntsman.

Desta feita não só a Razer procura colocar no mercado o melhor teclado de sempre como promete ainda revolucionar a forma como jogamos no PC. A verdade é que, de acordo com os testes que efetuamos, a afirmação corajosa pode não ser apenas estratégia de marketing.

Depois de vários anos e muitas iterações de aperfeiçoamento do produto este V2 Analog é de facto uma proposta deveras interessante e que pode mesmo mudar a forma como olhamos para uma ferramenta que pensávamos já não ser possível melhorar.

Não se enganem, não é perfeito e algumas funcionalidades podem passar ao lado de boa parte dos utilizadores, mas estamos perante muito mais do que um simples teclado.

Design sóbrio e foco no conforto

Razer

O design em pouco ou nada difere da versão Elite, apresentando linhas bastante sóbrias especialmente para um teclado especificamente desenhado para os fãs de videojogos.

Se há coisa que a marca tem melhorado nos últimos anos é a não mexer nas suas fórmulas de sucesso, quando no passado parecia ser algo alérgica a vender periféricos semelhantes, independentemente do mais importante - a tecnologia no seu interior.

O Huntsman V2 Analog é extremamente confortável de se usar, graças à combinação de uma sensação tátil incrível proporcionada pelos seus novos switches com o descanso para pulsos em pele falsa. Sim, com o tempo e especialmente com o suor do verão é possível que o material se desgaste pelo que a pele verdadeira teria sido melhor opção especialmente para o preço.

Mesmo assim o descanso cumpre perfeitamente a sua função e com algum cuidado é possível mantê-lo intacto durante vários anos. Quem passa longas horas ao computador certamente saberá reconhecer o quão indispensável é um "acessório" deste género, e é sempre um bónus quando as marcas o incluem, especialmente com iluminação Chroma RGB.

As teclas em PBT ajudam também a ter mais segurança enquanto se tecla, uma vez que a sua textura impede que o dedo possa escorregar para a tecla vizinha. A Razer optou por um design mais côncavo já a pensar nesse cenário, por isso temos sempre a certeza de onde vamos colocar o dedo.

Qualidade de construção sólida com falhas imperdoáveis

Razer

Outro aspeto que a marca tem melhorado muito é a qualidade de construção dos seus produtos. O Huntsman V2 Analog é o teclado mais robusto que alguma vez experimentei, assente numa construção metálica com reforço de aço na sua placa central. Este pormenor impede qualquer tipo de flexibilidade, o que lhe empresta maior durabilidade mas também mais conforto na sua utilização diária.

Mesmo após testes intensivos nunca notei qualquer ruído proveniente de peças que pudessem estar mais soltas, e vindo de um BlackWidow Chroma V2 é algo que não posso deixar de destacar. O ruído desse teclado agora com mais de 5 anos é algo que me tem vindo a incomodar cada vez mais, e passar para um periférico mais silencioso foi uma verdadeira benção.

A Razer apostou na melhoria das barras estabilizadoras das teclas maiores e decidiu emprestar a este Huntsman um sistema de amortecimento e lubrificação da raiz do switch que faz com que o barulho seja mínimo mas muito satisfatório. São estas pequenas adições que fazem toda a diferença num teclado que provavelmente será usado durante horas a fio.

No entanto existe quase sempre o reverso da moeda. As teclas multimédia oferecem um clique muito pobre, o que não é de estranhar se considerarmos que são de plástico. Gostava de ter visto a Razer a optar pelo metal, exigência que não me parece descabida num teclado cujo preço é superior a um terço de salário mínimo português.

A roda de volume representa o pior que este teclado tem para oferecer, não sendo possível sequer discernir de forma segura a intensidade dos incrementos ou diminuições de volume. É daquelas coisas impossíveis de não reparar, estava à espera de uma roda metálica mas tudo o que recebi foi uma solução plástica mal amanhada.

Referência ainda para distribuição pouco uniforme da iluminação pelas várias teclas. No caso da unidade que recebi para análise algumas delas não deixavam passar a luz da forma desejada, o que empresta ao teclado um aspeto algo barato. Claro que é algo que nem reparamos ao longo da utilização, mas mais uma vez, o preço exige maior atenção aos detalhes.

Aposta no analógico para maior velocidade de execução

Razer
Switches Óticos Analógicos Lineares da Razer

Existem várias formas de teclados mecânicos, talvez os mais populares estejam equipados com os switches Cherry MX, cujas várias cores definem diferentes cenários de utilização e uma variedade de sensações transmitidas a cada tecla pressionada.

A Razer nunca gostou de recorrer a tecnologias alheias e rapidamente decidiu que teria de inovar e criar a sua própria interpretação do que é um teclado mecânico orientado para videojogos.

Para isso a marca predispôs-se a mergulhar no mundo dos switches óticos, capazes em teoria de oferecer uma velocidade de resposta mais adequada às necessidades até do mais competitivo dos jogadores.

O Razer Huntsman Elite foi o primeiro a trazer-nos os switches Razer Opto-Mechanical, ativados através da luz em vez de se limitarem a atuar através de componentes mecânicos, mais lentos e potencialmente falíveis.

Razer

A ideia é deixar passar um feixe de luz de cada vez que pressionas uma tecla - altura pela qual a tecla atua - enviando um sinal correspondente para o computador, indicando-lhe que deve levar a cabo a ação pretendida. Estás familiarizado com a forma como atuam os gatilhos analógicos do DualSense da PS5? Pois bem, aqui aplica-se o mesmo princípio.

O Razer Huntsman V2 Analog está equipado com uma evolução importante desta tecnologia, que a marca batizou como switches Óticos Analógicos. Mas qual será a grande diferença? Pois bem, esta nova tecnologia permite uma variedade de ações muito maior que as opções anteriores, deixando de olhar para a atuação de uma tecla como um binómio ativada/desativada.

A Razer criou algo que possibilita uma escala do nível de input que corresponde a quanta pressão exerces sobre a tecla. Isto é possível através de um sensor que mede a intensidade da luz que passa através de uma abertura triangular na base do switch, alargando-o à medida que este é pressionado.

Algo que parece tão simples abre um novo mundo de possibilidades num teclado, que era impossível de obter num periférico tradicional. De uma forma mais prática podemos olhar para como esta tecnologia pode transformar a tua experiência em diferentes géneros de videojogos.

Distância de atuação dupla variável e maior controlo

Razer

O Razer Huntsman V2 Analog permite que definas um ponto de atuação ajustado a cada estilo de jogo. Através do software Synapse pode definir uma distância de atuação mínima de 1.5mm para uma pressão rápida e leve, até um máximo de 3.6mm para um teclar mais deliberado e intencional.

Melhor ainda, podes controlar a distância de atuação de cada tecla individualmente caso o desejes, fazendo deste o teclado mais personalizável do mercado.

O V2 Analog é capaz de emular o comportamento de um comando de jogo, incluindo o dos joysticks analógicos. Num jogo de corridas de automóveis, por exemplo, terás acesso a um controlo mais granular da direção.

Com estes novos switches da Razer vais conseguir controlar de forma mais adequada a aceleração ou travagem, já que pressionar o "W" com diferentes níveis de força vai fazer com que o veículo acelere gradualmente. O mesmo se verifica para a travagem ou direção.

Razer

Num jogo de tiros na primeira pessoa, os movimentos deixam de estar limitados a 8 direções. Através do input analógico este teclado é capaz de emular um joystick, abrindo o movimento a 360 graus.

Outra funcionalidade que a Razer fez questão de permitir no V2 Analog é a possibilidade de cada tecla ter dois pontos de atuação. Os switches Óticos Analógicos permitem registar duas ativações de tecla com um único toque, potencialmente reduzindo o número de inputs necessários para executares determinadas tarefas.

Imagina-te a jogar CS:GO e usar a mesma tecla para equipar e atirar uma granada. Quando pousas o dedo na tecla esta ativa a granada, e quando exerces um pouco mais de pressão a granada é atirada. Para mim é este o verdadeiro "game changer" do Huntsman V2 Analog, abrindo todo um novo mundo de possibilidades.

É o tipo de vantagem competitiva que apenas donos deste tipo de teclado vão ter no campo de batalha. Talvez sejam cenários demasiado específicos para o comum dos jogadores, mas a flexibilidade permitida por este tipo de tecnologia tem um potencial sem fim. Até quando estás a usar o Huntsman V2 Analog para escrever podes tirar partido da atuação dupla, poupando-te tempo e esforço.

Principais especificações do Razer Huntsman V2 Analog

Razer

  • Switches Razer Óticos Analógicos
  • Durabilidade até 100 milhões de cliques
  • Razer Chroma RGB com 16.8 milhões de cores
  • Teclas Razer Doubleshot PBT
  • Hub USB 3.0 no teclado
  • Iluminação Underglow
  • Descanso magnético para o pulso em pele sintética
  • Botão digital multi-funções com 4 teclas multimédia
  • Armazenamento onboard híbrido - até 5 perfis distintos
  • Teclas programáveis com gravação de macros
  • N-key roll-over com anti-ghosting
  • Modo de Jogo
  • Ultrapolling de 1000 Hz
  • Construção em alumínio mate

Conclusão: o melhor teclado Razer de sempre, mas exigia-se a perfeição!

O Razer Huntsman V2 Analog é sem dúvida o mais inovador teclado da marca mas o preço de €269,99 leva-nos a exigir a máxima qualidade em todos os aspetos. Esta proposta da Razer passa com distinção nos quesitos de robustez e inovação tecnológica mas é inadmissível a falta de cuidado com a distribuição e uniformidade da iluminação RGB.

A qualidade de construção é muito boa mas as teclas multimédia deixam bastante a desejar e não acompanham a sensação tátil das demais, remetendo quase para um teclado de gama média. Não me interpretem mal, não se vão estragar passadas algumas horas de utilização mas deviam transmitir outra segurança.

Quando se cobra um premium tão elevado devia colocar-se na mão do consumidor um produto "à prova de bala" e capaz de superar qualquer oferta da concorrência.

Mesmo assim, este Huntsman V2 Analog tem todo o potencial para transformar a cena competitiva de vários géneros de videojogos, contando que os produtores invistam também na máxima utilização dos seus recursos. Os jogadores competitivos de Fortnite, a título de exemplo, parecem escolher os teclados analógicos como arma de eleição e isso não será à toa.

Apesar de obrigar a algum treino de memória muscular para tirar todo o partido da atuação dupla, a Razer coloca no mercado uma arma de jogo extremamente poderosa e que não deve desiludir os que se dispõem a pagar o preço do sucesso. A Razer não tem previsão para o lançamento de uma versão com layout PT-PT, mas tal como sucedeu com o BlackWidow mantém-se a esperança para uma revisão que contemple o fiél público português.

O Huntsman V2 Analog foi gentilmente cedido pela Razer. Podes saber mais sobre este teclado no website oficial da marca.

Abílio Rodrigues
Abílio Rodrigues
Apaixonado por tecnologia desde que montou o seu primeiro computador, continua em fase lua-de-mel com tudo o que envolva um processador e permita umas sessões videolúdicas.