bebe iPhone

Há coisas que me atrofiam e ver artigos deste género leva-me a pensar, mas que raio de mundo é este onde vivo? Adoro tecnologia e é verdade que de tanto em tanto tempo faço o meu esforço monetário para comprar um novo smartphone, mas por muito que adore tecnologia temos de traçar um risco e pensar até que ponto é que o nosso amor tecnológico pode chegar.

Vê ainda: Fim do roaming nos novos tarifários da Vodafone

   

De acordo com o Epoch Times um casal Chinês da província de Fujian vendeu a sua filha recém-nascida por 23,000 Yuan (equivalente a 3200€) e utilizou o dinheiro para comprar um novo iPhone e uma nova moto.

Parece uma caso surreal mas a verdade é que não é. Já não é a primeira vez que ouvimos casos deste género, principalmente vindos do Oriente. Segundo a fonte, o pai da criança pôs um anúncio na QQ (rede social Chinesa) e lá conseguiu vender a filha, depois de algumas negociações (“Yup”, ele baixou o preço). O comprador alegou ter comprado a bebé para a sua irmã.

Deverás gostar: Samsung Galaxy S7 : Os aspectos negativos!

O casal é jovem e o pai da criança tem apenas 19 anos, a mãe ainda mais nova referiu que: “Eu própria fui adotada e muitas outras crianças na minha cidade são vendidas porque não há possibilidade de as criar.”, “Na verdade, eu não sabia que era ilegal”.

Se isto é burrice ou falta de compaixão eu não sei, mas há tão boa gente a tentar criar a sua família que questiono-me o que realmente se passa na cabeça destas pessoas.

Lembrem-se todos os seguidores 4gnews, por muito que adorem tecnologia, não ponham a vossa vida em causa por um novo smartphone e não façam créditos para o comprar. A tecnologia rapidamente se desatualiza e o dinheiro ou neste caso a “filha” não volta.

Talvez queiras ver:

 

ViaPhonearena
FonteEpoch Times
Fundador do projeto 4gnews, sempre olhei para a tecnologia como um pedaço de nós. Desde cedo ligado ao mundo tecnológico, este é literalmente o meu trabalho de sonho. Amante de vinho e apaixonado pelo meu Vit. Guimarães, acredito ainda que todas as nossas acções são o gatilho para o nosso futuro.