BacelarProvavelmente o passo mais difícil para qualquer “Youtuber”(pessoa que se dedica à produção de conteúdos para o YouTube) é criar uma empatia com o seu público, até porque há uma fina linha entre ser um entertainer demasiado espalhafatoso e um repórter certinho mas monocórdico, desafios com que depressa me deparei ao carregar no “Rec” e dar a cara nas Reviews, Lives e demais conteúdo na 4GNews.

Ainda estou longe da fórmula perfeita bem sei e apesar de tentar ser o mais natural possível nos vídeos, há algo de bastante indiscreto na objectiva de uma câmara que desperta um alter ego qualquer pessoa mas já chega de justificações.

   

Eu, “o Bacelar”, integrei este projecto há pouco mais de um ano muito por causa do desafio que este projecto representa. Trabalho voluntário, uma “confiança cega”, uma vontade de suplantar instituições com raízes bem firmes mas tronco corroído, a sensação de criar algo com o nosso esforço e chegar a todo um público que partilha entre si a lingua portuguesa.

Quando gravei este vídeo, fi-lo com o intuito de começar uma nova rubrica, até porque além de techbloggers ou jornalistas tecnológicos, também temos uma vertente “Youtuber” e neste meio tudo gira à volta da interacção com o público. Ora cá está, o primeiro dos “Quem sou eu?- O Bacelar”.


Acima de tudo, tento ser profissional no que escrevo e no que filmo. Amaldiçoado com um racionalismo perfeccionista já poucas pessoas me conseguem aturar, inclusive eu próprio. Se lês os meus artigos e vês os meus vídeos, um sincero obrigado! Aproveita para subscrever o nosso  canal YouTube caso não o tenhas feito e dá ainda um salto ao “Quem sou eu do Filipe Alves“.

Talvez queiras ver:

Quando não está a escrever um artigo ou a gravar algum vídeo, o Bacelar tem por hábito saborear um bom livro, descobrir novas bandas sonoras ou simplesmente desfrutar do sol, na companhia de quem mais gosta (MM).