Próximos smartwatches da Fossil vão desiludir neste aspeto

Filipe Alves
Comentar

O design dos smartwatches da Fossil é simplesmente brilhante. Aliás, dos mais bonitos relógios inteligentes que podes usar com um smartphone Android ou iPhone.

Porém, os próximos modelos vão desiludir os fãs que esperavam um pouco mais da marca. Isto porque a Fossil não utilizará o novo processador da Qualcomm para smartwatches, Snapdragon Wear 4100.

Novos smartwatches da Fossil não trarão o mais recente processador

Smartwatch fossil

Este novo processador é seriamente superior aos antecessores. Ainda que o Snapdragon 3100, atualmente utilizado na maior parte dos relógios com WearOS, seja de qualidade. A melhoria do novo chip é considerável.

Tanto em autonomia como na fluidez do sistema operativo WearOS que, diga-se de passagem, está longe de perfeição para processadores menos capazes.

Tive a oportunidade de ter um smartwatch da Fossil e por muito que adorasse o design do relógio a falta de autonomia e lentidão do sistema operativo era simplesmente inaceitável para um relógio de 200 e muitos euros.

Os novos processadores da Qualcomm

A Qualcomm revelou o Snapdragon Wear 4100 e 4100+. O modelo Plus dá-nos a possibilidade de manter os relógios com ecrã sempre ligado e gastar pouca autonomia.

Já a melhoria nos chips é considerável. A Qualcomm referiu ainda que os processadores trarão 25% de mais autonomia aos smartwatches e uma melhoria de desempenho de 85%. Ou seja, temos quase o dobro da melhoria em desempenho. E bem precisava.

Em suma, esperava-se um pouco mais da Fossil nneste aspeto. É possível que os smartwatches já estivessem prontos e não houvesse possibilidade de os instalar. Ou então os chips são caros demais para justificar o dinheiro de investimento.

Porém, uma coisa é certa, se estás a pensar comprar um smartwatch da Fossil, pensa duas vezes, estes novos chips da Qualcomm são consideravelmente superiores aos já lançados.

Editores 4gnews recomendam:

Filipe Alves
Filipe Alves
Fundador do projeto 4gnews e desde cedo apaixonado pela tecnologia. A trabalhar na área desde 2009 com passagens pela MEO, Fnac e CarphoneWarehouse (UK). Foi aí que ganhou a experiência que necessitava para entender as necessidades tecnológicas dos utilizadores.