Portugal na mira dos downloaders maliciosos, cuidado com os dados bancários

Rui Bacelar
Comentar

O nosso país é um dos alvos preferenciais da atual vaga de malware que pode, entre outras coisas, roubar dados bancários do utilizador. Em causa está o Emotet, a família de malware mais influente na categoria dos downloaders. O mais assustador? As deteções no território nacional cresceram 473%.

Segundo avança a ESET no seu mais recente estudo, Portugal segue em contracorrente face à tendência global no segundo quadrimestre de 2022. Ou seja, uma tendência global de desaceleração generalizada da ameaça dos downloaders ou descarregadores.

Portugal na mira do ciber crime com crescimento dos downloaders

Downloader

A ESET divulgou dados do segundo quadrimestre de 2022 sobre a paisagem de ciberameaças em Portugal. Aí, revelando uma especial incidência dos downloaders maliciosos em território nacional.

As deteções da agência de segurança em Portugal revelam um crescimento dos downloaders superior a 120% de quadrimestre para quadrimestre. Desse modo, contrastando com a tendência global nesta categoria, que foi de desaceleração.

EMOTET
Fonte: ESET (Relatório para o segundo quadrimestre de 2022)

Importa notar que os downloaders têm como objetivo descarregar outros programas ou componentes de malware e executá-los sem que a vítima esteja necessariamente ciente disso.

Aliás, em Portugal, o downloader dominante no segundo quadrimestre foi o Emotet, correspondendo a cerca de 70% de todas as deteções nesta categoria.

Porém, pese embora as deteções da família Emotet tenham decrescido em 31% a nível global, no território nacional as deteções cresceram 473%.

O EMOTET é um Trojan bancário, um tipo de malware

EMOTET Trojan

O Emotet surgiu inicialmente como um Trojan bancário desenvolvido para roubar as credenciais de utilizadores, mas versões posteriores muniram-no de uma capacidade modular capaz de infetar sistemas com malware. É distribuído sobretudo através campanhas de email massivas utilizando formas de distribuição de anexos infetados aparentemente legítimos.

Segundo a telemetria da ESET, os operadores do Emotet estiveram especialmente ativos no território nacional durante o mês de julho, com praticamente nenhuma atividade detetada em agosto ou setembro. Identificado originalmente em 2014, o Emotet continua a ser uma força dominante na categoria dos downloaders.

Questionado sobre o aumento deste malware, o Diretor-Geral da ESET em Portugal, Nuno Mendes, destaca a necessidade de “continuar a investir em tecnologias de deteção eficaz nos endpoints para deteção destes downloaders. Isto bem como de tecnologia de cloud sandboxing para deteção de ameaças zero-day”.

Por fim, podem encontrar mais informações sobre as ameaças de malware, no ESET Report.

Editores 4gnews recomendam:

Rui Bacelar
Rui Bacelar
Na escrita e comunicação repousa o gosto, nas leis a formação. Ocupa-se com as novidades de tecnologia na 4gnews. Email: ruifbacelar@4gnews.pt