Patente da Apple promete câmaras sem "corcundas"

Filipe Alves
Comentar

A tecnologia evoluí nos smartphones e as câmaras são dos pontos mais importantes. A Apple tenciona agora reduzir a sua corcunda nas câmaras dos iPhones. Pelo menos é o que a nova patente refere.

Uma patente registada e autorizada pela Apple promete oferecer uma nova ideologia de sensores dentro das câmaras num smartphone. O principal objetivo passa por reduzir o tamanho das mesmas e juntar o máximo possível a lente do chassi do equipamento.

Patentes da Apple para novas câmaras

Embora para muitos estes riscos não tenham muito fundamento, o que estes riscos nos dão é uma nova ideologia de criar os sensores dos smartphones.

Lentes patente Apple

Do lado esquerdo vamos encontrar 3 "vidros" dentro da câmara. Ao colocar os vidros de formas diferentes a Apple consegue oferecer mais qualidade no zoom e mesmo assim, reduzir o tamanho das mesmas. A primeira imagem refere uma lente entre 80mm e 200mm, equivalente a uma lente de 35mm numa DSLR. Perfeito para uma câmara telefoto.

Já a segunda imagem à direita vemos cerca de 5 vidros dentro da câmara. Esta passa por nos dar uma fotografia coma lente "normal" e com uma distância focal de 50mm a 85mm.

Percebe a lógica da patente

Apple iPhone 11

Em síntese, para sair de dados técnicos que nem eu gosto. Ao colocar vidros dentro da lente com curvaturas diferentes, a imagem captada será melhorada e acima de tudo num formato mais fino. Contudo, vale a pena lembrar que não será propriamente simples conseguir introduzir 5 pedaços de vidro numa lente de poucos milímetros.

Por isso é que uma patente não garante que o produto sairá para o público. Temos a confirmação que a Apple está a trabalhar de forma a reduzir a corcunda das lentes dos smartphones e isto é a informação mais importante.

Editores 4gnews recomendam:

Comentar
Filipe Alves
Filipe Alves
Fundador do projeto 4gnews e desde cedo apaixonado pela tecnologia. A trabalhar na área desde 2009 com passagens pela MEO, Fnac e CarphoneWarehouse (UK). Foi aí que ganhou a experiência que necessitava para entender as necessidades tecnológicas dos utilizadores.