OPPO está a construir um smartphone dobrável como nunca imaginaste

Filipe Alves
Comentar

A OPPO é uma das fabricantes mais poderosas do mundo. Ainda que não se tenha aventurado nos smartphones dobráveis e só agora é comece a chegar ao nosso mercado português, é uma fabricante a ter em conta.

Afinal de contas, a OPPO é uma das que luta pelo primeiro lugar na China. O maior mercado de smartphones do mundo. Hoje tivemos acesso a uma patente da OPPO que nos mostra um smartphone dobrável como nunca vimos.

Patente da OPPO mostra smartphone dobrável em muitos locais

Patente OPPO

Ao contrário das fabricantes, Samsung, Huawei ou até Motorola, que apostam em dispositivos só com uma dobra, este smartphone da OPPO revela múltiplos pontos de dobra. Ou seja, o equipamento poderás ser guardado no bolso de várias formas e, teoricamente, usado também em vários sentidos.

Patente OPPO smartphone dobrável

Olhando para a patente, não conseguimos sequer imaginar que tipo de smartphone é que pode ser inventado com tais ideologias. Aliás, nem sabemos se já existe tecnologia capaz de tornar esta patente uma realidade.

Uma patente é apenas isso

Em síntese, vale a pena relembrar que uma patente nada garante. São muitos os gadgets que vemos patentes e continuamos sem os ver no mercado. Exemplo disso são os óculos inteligentes da Apple.

Por isso, deita aquela pitadinha de sal nestas imagens. Uma coisa é certa, a OPPO trabalhou nelas ao ponto de acreditar que era importante salvaguardar a ideia e patentear o modelo.

Em suma, o mercado de smartphones dobráveis ainda só agora é que começa a ganhar mais destaque. Ainda assim, o preço desses equipamentos continua a não ser para as carteiras da maior parte da população. E, francamente, a qualidade está longe de valer esse dinheiro.

Editores 4gnews recomendam:

Filipe Alves
Filipe Alves
Fundador do projeto 4gnews e desde cedo apaixonado pela tecnologia. A trabalhar na área desde 2009 com passagens pela MEO, Fnac e CarphoneWarehouse (UK). Foi aí que ganhou a experiência que necessitava para entender as necessidades tecnológicas dos utilizadores.