O smartphone topo de gama com dois ecrãs da Nubia é mais barato que o OnePlus 7T

Filipe Alves
Comentar

A Nubia da ZTE revelou um smartphone em agosto que deu que falar. Isto porque foi um dos primeiros smartphones topo de gama a chegar com dois ecrãs. Hoje temos noção do seu preço e por 549€, este dispositivo é mais barato que o OnePlus 7T.

O Nubia Z20 é um topo de gama assumido. O smartphone conta com o processador Qualcomm Snapdragon 855+ e ainda uma qualidade de construção do melhor que há. O terminal é construído em vidro como muitos dos topo de gama neste momento.

Características do Nubia Z20

  • Processador Qualcomm Snapdragon 855+
  • Ecrã 6.42" polegadas AMOLED FullHD+
  • Segundo ecrã de 5.1" polegadas AMOLED FullHD+
  • Câmaras de 48MP + 8MP + 16MP (normal, zoom, grande angular)
  • Câmara da selfie são as traseiras e o ecrã o secundário
  • Memória RAM de 6GB ou 8GB
  • Memória interna de 128GB ou 512GB
  • Bateria de 4000 mAh

Nubia Z20

Algo a salientar é a independência do segundo ecrã. Ou seja, é como se fosse um smartphone totalmente diferente. Podes, por exemplo, estar no Messenger no ecrã principal e tirares uma selfie com o ecrã secundário.

De referir que este dispositivo não conta com uma câmara frontal. Em vez disso, o utilizador vira o smartphone ao contrário e o ecrã ficará a ser o principal e tira fotografias com o melhor que as câmaras tem para oferecer.

OnePlus 7T ganha no software mas este Nubia Z20 é uma besta

A Nubia prova assim que está bem de saúde. O OnePlus 7T até pode ganhar pela sua qualidade de software e pelo seu ecrã de 90Hz, contudo, temos de admitir que este Nubia Z20 tem tudo para conquistar os utilizadores. Principalmente quando o seu preço é de 549€. Ou seja, 50€ menos que o OnePlus 7T. Podes comprar o novo smartphone da Nubia no seu site oficial aqui.

Editores 4gnews recomendam:

Comentar
Filipe Alves
Filipe Alves
Fundador do projeto 4gnews e desde cedo apaixonado pela tecnologia. A trabalhar na área desde 2009 com passagens pela MEO, Fnac e CarphoneWarehouse (UK). Foi aí que ganhou a experiência que necessitava para entender as necessidades tecnológicas dos utilizadores.