O Huawei Mate 40 poderá ser o topo de gama mais exclusivo de sempre! Entende

Filipe Alves
1 comentário

A situação da Huawei não está famosa e com o Huawei Mate 40 e Mate 40 Pro prestes a ser revelados de forma oficial, a Huawei tem de descobrir uma forma de o tornar cativante.

Há quem concorde que um produto exclusivo é mais apetecível que outro qualquer. Por isso, é possível que a Huawei até se consiga safar com este Huawei Mate 40 e Mate 40 Pro.

Huawei Mate 40 terão unidades limitadas

Huawei Mate 40

Devido à situação da Huawei com a sanção dos Estados Unidos da América, as empresas americanas estão proibidas de negociar com a Huawei sem um acordo prévio com o governo americano.

Contudo, não são só e apenas as empresas americanas afetas. O governo americano referiu que quem se atrevesse a negociar com a Huawei poderia sofrer consequências.

Assim sendo, a TSCM, uma das maiores fabricantes de processadores do mundo, também terminou o fabrico dos conhecidos processadores Kirin para a Huawei.

A TSCM tinha até ao dia 15 de setembro para dar 15 milhões de processadores Kirin 9000 à Huawei. Algo que não foi alcançado. A fabricante de processadores conseguiu apenas 8.8 milhões.

Ou seja, a Huawei não tem a quem mais pedir o fabrico dos seus processadores. Assim sendo, podemos imaginar que as unidades do Huawei Mate 40 serão bem limitadas.

O futuro da Huawei é incerto

Ainda que acreditemos que o Huawei Mate 40 seja revelado de forma oficial, não há nada garantido quanto ao seu futuro. Este processador deveria ser o mesmo que seria revelado no Huawei P50 e os rumores desse smartphone são inexistentes.

Ou seja, resta-nos esperar para ver. A única possibilidade disto voltar ao normal é com a derrota de Donald Trump nas eleições de novembro. Mesmo assim, não há garantias que se Joe Bidden (o seu oponente) ganhar, a situação será resolvida a favor da Huawei.

Editores 4gnews recomendam:

Filipe Alves
Filipe Alves
Fundador do projeto 4gnews e desde cedo apaixonado pela tecnologia. A trabalhar na área desde 2009 com passagens pela MEO, Fnac e CarphoneWarehouse (UK). Foi aí que ganhou a experiência que necessitava para entender as necessidades tecnológicas dos utilizadores.