Novo processador da Huawei será revelado este mês. Mas pode muito bem ser o último

Filipe Alves
Comentar

A Huawei está prestes a revelar o seu novo processador, Kirin 9000. Espera-se que este seja o processador que integrará o Huawei Mate 40 e Mate 40 Pro.

Temos ideia que estes novos topo de gama serão revelados em breve. Porém, dada a situação da Huawei, sabemos que não será fácil para a marca dar-lhes o destaque que merecem.

Huawei Kirin 9000 chegará com quantidades muito limitadas

Huawei Kirin 9000

Ao que parece, a Huawei apenas conseguiu fabricar cerca de 8.8 milhões de processadores. Parecem números grandes, contudo, cada um deles deverá ir para o novo Huawei Mate 40.

Ou seja, a Huawei tem quantidades limitadas para o novo smartphone. Isto significa que o Huawei Mate 40 e Mate 40 Por deverão ser dos topo de gama mais exclusivos de sempre. Isto porque 8.8 milhões de unidades não deverão chegar para o lançar em todos os mercados como era normal.

Lembremo-nos ainda que o processador que chega na gama Mate vem também na gama P do ano seguinte. Ou seja, este é o suposto processador que a Huawei iria lançar no Huawei P50 e P50 Pro. Visto que as unidades são limitadas para o Mate, questiona-se se terão o suficiente para revelar na gama P.

Em síntese, este pode muito bem ser o último processador que a Huawei produz. Isto porque a fabricante não consegue arranjar mais componentes para fabricar os seus chips. Pelo menos até depender de empresas americanas para tal.

Huawei está a olhar para a Qualcomm, mas nem tudo é simples

A Huawei já declarou que existe vontade de trabalhar em conjunto com a Qualcomm na integração dos seus processadores nos smartphones da marca.

Porém, a Qualcomm é uma empresa norte-americana. Assim sendo, impedida de negociar qualquer tipo de acordo com a marca devido à sanção do governo norte-americano à Huawei.

Editores 4gnews recomendam:

Filipe Alves
Filipe Alves
Fundador do projeto 4gnews e desde cedo apaixonado pela tecnologia. A trabalhar na área desde 2009 com passagens pela MEO, Fnac e CarphoneWarehouse (UK). Foi aí que ganhou a experiência que necessitava para entender as necessidades tecnológicas dos utilizadores.