Motorola Razr 2020: assim será o próximo smartphone dobrável

Filipe Alves
Comentar

A Motorola Razr 2020 5G é o próximo smartphone dobrável da marca. Os rumores referem que a Motorola revelará de forma oficial o dispositivo ainda este ano e tudo indica que trará melhorias consideráveis.

Ainda que o design seja idêntico, espera-se que as características sejam melhoradas. Exemplo disso é o ecrã que nos deixou a desejar no modelo anterior.

Este é o novo Motorola Razr 2020 5G

De acordo com o conhecido leaker @EvLeaks, este é o novo smartphone da marca. À primeira vista, o design não é muito diferente do antecessor. Porém, temos pequenas diferenças no exterior. Um deles é o desaparecimento do sensor biométrico. Não sabemos, contudo, se o sensor estará no ecrã do equipamento ou num outro local.

Podemos também ver um telemóvel que segue os padrões previamente anunciados no modelo anterior. Ou seja, um grande ecrã na parte frontal do dispositivo quando fechado e um ecrã com menos margens quando aberto.

Não conseguimos perceber se a grande notch está no terminal. Pelo menos neste GIF não conseguimos perceber de forma concreta. Há rumores que falam da possibilidade de redução ou remoção dessa notch.

Especificações do novo Motorola Razr 2020 5G

Motorola Razr 2020

  • Processador Qualcomm Snapdragon 765G
  • Tecnologia 5G
  • 8GB de memória RAM
  • 256GB de memória interna
  • Câmara principal de 48MP
  • Bateria de 2845mAh

Ainda que o nome mais sonante seja "Motorola Razr 2020 5G", estes rumores apontam que o nome final do dispositivo será Motorola Razr 5G".

Este telemóvel não deverá chegar ao mercado português. O primeiro modelo focou-se no mercado americano e teve a sua dose de sucesso. O mesmo deverá acontecer com o segundo modelo. Porém, comprar em países da Europa que o vendam não será uma miragem.

Editores 4gnews recomendam:

Filipe Alves
Filipe Alves
Fundador do projeto 4gnews e desde cedo apaixonado pela tecnologia. A trabalhar na área desde 2009 com passagens pela MEO, Fnac e CarphoneWarehouse (UK). Foi aí que ganhou a experiência que necessitava para entender as necessidades tecnológicas dos utilizadores.