Modelos "Pro" do iPhone 11 são mais populares do que o esperado!

Filipe Alves
Comentar

A Apple revelou 3 novos iPhones no evento da semana passada. Temos o iPhone 11, iPhone 11 Pro e 11 Pro Max. Todos os modelos melhoram algumas características dos antecessores e os Pro dão uma nova vida às câmaras fotográficas.

Esta é a grande diferença entre o Pro e iPhone 11. Ainda que possamos também falar do carregador rápido que vem na caixa do Pro ou até a melhor qualidade de ecrã (AMOLED) nos modelos mais caros da Apple.

Os modelos Pro do iPhone 11 estão a ter mais sucesso

De acordo com o conhecido analista Ming-Chi Kuo, que já se revelou correto no passado, o sucesso dos Pro é mais do que esperado. As suas informações referem que os modelos mais caros do iPhone 11 contam com 55% das pré-vendas até ao momento.

Ainda assim, temos de perceber que estamos a falar de dois modelos contra um. Isto significa que só o iPhone 11 dominou 45% das pré-vendas da Apple.

Mais populares que os antecessores

Apple iPhone 11 Pro

Estes números surpreendem devido aos alcançados no ano anterior. O iPhone Xs e XS Max tem uma média de 40% - 45% dos modelos vendidos. Ou seja, a popularidade foi maior no modelo XR.

Este ano, com as novas implementações do iPhone 11 Pro, parece que a Apple conseguiu conquistar a maior parte dos utilizadores. Mesmo assim, temos de considerar a diferença de valores.

Preço dos novos iPhones

iPhone 11

  • 64GB - 829€
  • 128GB - 879€
  • 256GB - 999€

iPhone 11 Pro

  • 128GB - 1179€
  • 256GB - 1349€
  • 512GB - 1579€

iPhone 11 Pro Max

  • 128GB - 1279€
  • 256GB - 1449€
  • 512GB - 1679€

A Apple só lançará os seus números no final do ano ou início do próximo. Ou seja, só nessa data é que teremos ideia se estas previsões estão certas ou erradas.

Editores 4gnews recomendam:

Comentar
Filipe Alves
Filipe Alves
Fundador do projeto 4gnews e desde cedo apaixonado pela tecnologia. A trabalhar na área desde 2009 com passagens pela MEO, Fnac e CarphoneWarehouse (UK). Foi aí que ganhou a experiência que necessitava para entender as necessidades tecnológicas dos utilizadores.