Chinas-Smartphone-Market-Finally-Cools

 

   

Pois é, não é novidade nenhuma que se há lojas que proliferam por este Portugal a fora, são mesmo as chinesas. Mas claro que a palavra “qualidade” não é exactamente aquela palavra que nos vem à cabeça, quando pensamos ou nos referimos a essas mesmas lojas. Pensamos, claro está, antes na palavra “barato”.

Até há bem pouco tempo era essa mesma a ideia que tinha de um smartphone chinês. Ou melhor, continuo a ter, mas agora já consigo verificar que mesmo sendo chinesas, existem marcas que querem e estão a dar o seu melhor para limpar esta imagem e mesmo mudar um pouco este estereótipo. Estou a falar de nomes como Xiaomi, Oppo, Lenovo, Huawei e agora a nova One Plus, etc… Vamos ser mesmo sinceros, creio mesmo que 90% ou mais dos smartphones do mercado, são mesmo fabricados lá, exemplo mais claro: Apple!

Eles têm o “know-how”, a mão de obra barata e são mesmo excelentes negociadores, isto claro se colocar-mos de parte as condições e falta de ética destas empresas que produzem para as grandes marcas, a foxconn é um caso flagrante! Mas pronto…

O resultado a médio/longo prazo não vai poder ser outro. A China está aí, e veio mesmo para ficar no mercado de smartphones!

 

Prova disto mesmo são as últimas estatísticas, por parte da empresa de estudos de mercado Canalys, onde no Top 10 dos Fabricantes de smartphones, 5 são fabricantes chineses.

 

A Huawei é o número 3 na lista, Lenovo é a 4º classificada, Xiaomi a número 6, Coolpad a 8º e a ZTE é a 9º classificada. A Samsung, seguida da Apple continuam a dominar o mercado, sendo que a HTC desapareceu mesmo do Top 10, muito por culpa da Xiaomi.

 

xiaomi_mipad_home_insert

 

 

Mas esta Xiaomi é mesmo um fenómeno. Nunca tive com nenhum equipamento deles nas mãos, portanto não sei avaliar a qualidade, no entanto o feedback que tenho é notoriamente positivo.

A Canalys diz também que dos 279.4 milhões de dispositivos vendidos no primeiro trimestre deste ano, 97.5 milhões foram vendidos na China. Com isto podemos ver que mesmo sendo a Xiaomi uma empresa com pouca, ou mesmo nenhuma presença no mercado internacional. Bastam os 97% da sua total produção de telemóveis que vendem no seu país de origem para saltarem de imediato para o 6º lugar do Top.

 

Para 2014, o ex-Google Hugo Barra (agora contratado pelo Xiaomi) prometeu a expansão da empresa a nível mundial, o que poderá fazer com que Samsung, Apple e companhia limitada, tenham de pensar a ter de cerrar os dentes para não começarem a perder terreno.

Na minha opinião: mais competição, melhores produtos, melhores preços, ganha finalmente o consumidor final!

 

Fonte: Catalys