Mais problemas para a Huawei! Reino Unido proíbe operadoras de utilizarem a sua tecnologia 5G

Filipe Alves
Comentar

A Huawei continua numa espiral descendente. Depois de ter sido banida dos Estados Unidos da América, que afetou os seus smartphones, agora é a vez do Reino Unido proibir as suas operadoras de utilizarem a tecnologia 5G da Huawei nos seus serviços.

Já há muito que os EUA tem vindo a pressionar os países aliados para que deixem de utilizar os serviços da marca com receio de espionagem e segurança pública. Pois bem, o Reino Unido seguiu as recomendações e as operadoras deixarão de poder negociar material 5G da Huawei já no final deste ano.

Equipamentos Huawei serão todos removidos até 2027

Huawei

O Reino Unido vai mais longe ao indicar às operadoras que não quer ver qualquer tipo de material da Huawei nas operadoras até 2027. Ou seja, as operadoras vão ter que se adaptar aos concorrentes e remover todo o material da Huawei nos próximos 7 anos.

A medida foi imposta pelo Primeiro-ministro Boris Johnson mas votada na "National Security Council (NSC)". A Huawei não foi a única a levar de tabela e também a ZTE ficou com o mesmo problema.

"Desde o início, percebemos claramente que os fornecedores chineses Huawei e ZTE eram considerados de alto risco. O NCSC agora informou aos ministros que eles mudaram significativamente a sua avaliação de segurança da presença da Huawei na rede 5G do Reino Unido.

Dada a incerteza que isso cria na cadeia de suprimentos da Huawei, o Reino Unido não pode mais ter certeza de que será capaz de garantir a segurança dos futuros equipamentos Huawei 5G. A melhor maneira de proteger as nossas redes é que as operadoras parem de usar os novos equipamentos afetados da Huawei para construir as futuras redes 5G do Reino Unido."

Huawei culpa os EUA

A Huawei já falou abertamente sobre a situação indicando que os utilizadores é que serão os maiores prejudicados com a situação.

"Esta decisão dececionante é uma má notícia para qualquer pessoa no Reino Unido com um telemóvel. Ameaça mover a Grã-Bretanha para a faixa digital lenta, elevar as contas e aprofundar a divisão digital. Em vez de "subir de nível", o governo está a diminuir o nível e pedimos que reconsidere. Continuamos confiantes de que as novas restrições dos EUA não afetariam a resiliência ou a segurança dos produtos que fornecemos ao Reino Unido.

Lamentavelmente, o nosso futuro no Reino Unido tornou-se politizado, trata-se de política comercial dos EUA e não de segurança. Nos últimos 20 anos, a Huawei se concentrou na construção de um Reino Unido melhor conectado. Como empresa responsável, continuaremos a apoiar os nossos clientes como sempre fizemos.

Realizaremos uma revisão detalhada do significado do anúncio de hoje para os nossos negócios aqui e trabalharemos com o governo do Reino Unido para explicar como podemos continuar a contribuir para uma melhor conexão da Grã-Bretanha."

Em suma, a Huawei está numa situação complicada. A fabricante luta para sobreviver e se os smartphones já sofreram por não conseguirem instalar serviços Google de origem, agora é a vez do seu maior negócio, tecnologia 5G, levar um forte abanão.

Editores 4gnews recomendam:

Filipe Alves
Filipe Alves
Fundador do projeto 4gnews e desde cedo apaixonado pela tecnologia. A trabalhar na área desde 2009 com passagens pela MEO, Fnac e CarphoneWarehouse (UK). Foi aí que ganhou a experiência que necessitava para entender as necessidades tecnológicas dos utilizadores.