Loja da Xiaomi reabre em Wuhan, o epicentro do COVID-19

António Guimarães
Comentar

Após 76 dias de encerramento, a loja da Xiaomi oficial na cidade de Wuhan reabriu, com direito a reportagem televisiva e tudo. Wuhan foi considerado o epicentro da pandemia de COVID-19, que continua a assolar a América e Europa, atualmente.

Desta forma, o negócio da Xiaomi poderá recuperar alguma normalidade, com a loja de Wuhan reaberta e mais algumas no território chinês. Nem tudo são rosa, no entanto. Clientes terão de entrar de máscara e tirar a temperatura à entrada para poder fazer uso do estabelecimento comercial.

xgfx

O diretor-geral da Redmi, Lu Weibing, publicou na rede social chinesa Weibo com a pergunta retórica "de quem é esta loja" com uma captura de ecrã da reportagem televisiva. É óbvio que o diretor da sub marca da Xiaomi está contente de ver o sucesso da marca principal.

Desta forma, a situação parece estar a voltar ao normal para a Xiaomi. Já em Portugal, não se pode dizer o mesmo pois a quarentena mantém-se nas terras lusas, para já.

Xiaomi Mi Store em Wuhan está a aplicar medidas rigorosas

Como seria esperado, a loja em Wuhan abriu onde as pessoas podem estar "à vontade, mas não à vontadinha". De acordo com a Xiaomi, os funcionários têm de completar o período de isolação e testar negativo para o COVID-19 antes de voltarem a ser admitidos nas funções de loja.

Adicionalmente, a temperatura dos funcionários e clientes é verificada diariamente. A Xiaomi fornece ainda equipamentos de segurança aos funcionários como máscaras, desinfetantes em spray e em gel para as mãos. Estes recursos estão disponíveis diariamente para os funcionários da loja.

Editores 4gnews recomendam:

António Guimarães
António Guimarães
Juntamente com os seus atuais companheiros Mi A2 e Surface Go, batalha para elucidar as massas sobre todos os acontecimentos da esfera tecnológica. "Informação é poder" é a frase que o acompanha diariamente. Talvez um dia a coloque numa t-shirt.