Licença temporária da Huawei com os Estados Unidos será a última, afirma relatório

António Guimarães
1 comentário

De acordo com a Bloomberg, os Estados Unidos não irão renovar a segunda licença de 90 dias concedida à Huawei. Rob Strayer, deputado do Departamento de Estado do país, afirma que estas licenças são uma medida temporária e criadas para evitar distúrbios no mercado.

A Huawei recebeu a sua primeira licença de 90 dias aquando do banimento dos Estados Unidos. Essa terminou em agosto mas foi dada uma nova até 19 de novembro. No entanto, essa licença não inclui de todo os serviços da Google, ausentes nos futuros equipamentos da marca como a recém-lançada série Mate 30.

Estados Unidos querem punir parceiros que comprem tecnologia 5G à Huawei

No decorrer do banimento da Huawei, os Estados Unidos tem colocado pressão noutros países como Inglaterra para que também proíbam a empresa chinesa de operador no seu território. Rob Strayer adverte que pretende 'punir' países que sejam parceiros de negócios dos Estados Unidos, caso não cedam aos pedidos.

Strayer não especificou que tipo de punições mas indica que os parceiros que continuem a comprar tecnologia à Huawei (principalmente 5G) poderão ser cortados de acordos de negócios ou perder acesso a informações relevantes.

Ao mesmo tempo, a União Europeia irá apresentar um plano de riscos e estratégia para implementação do 5G. Esse plano será apresentado em outubro e pode ser influenciado por toda esta situação da China com os Estados Unidos. Infelizmente, a Huawei foi apanhada no meio desta controvérsia. Parece que nem a China ou os Estados Unidos querem dar o braço a torcer nesta situação que não parece ter conclusão tão cedo.

Editores 4gnews recomendam:

1 comentário
António Guimarães
António Guimarães
Juntamente com os seus atuais companheiros Mi A2 e Surface Go, batalha para elucidar as massas sobre todos os acontecimentos da esfera tecnológica. "Informação é poder" é a frase que o acompanha diariamente. Talvez um dia a coloque numa t-shirt.