LG pode desistir de vez do mercado de smartphones

Rui Bacelar
1 comentário

O CEO da LG, Kwon Bong-seok, estará a cogitar uma saída estratégica do mercado de smartphones, o departamento mobile que apenas tem trazido prejuízos à gigante sul-coreana. A notícia foi avançada primeiramente pelo The Korea Herald.

Só nos últimos cinco anos, a LG Eletronics terá perdido mais de 4,5 mil milhões de dólares, ou cerca de 3,7 mil milhões de euros. São perdas avultadas que obrigam a chefia a procurar novas estratégias para o departamento de tablets e smartphones Android.

LG pondera sair do mercado de smartphones

Após ter refutado esta tese em ocasiões anteriores, é já sem surpresas que vemos tal hipótese a ganhar nova expressão. Ainda que não tenha sido oficialmente assumida pela fabricante, e provavelmente não o será num futuro próximo, é um passo compreensível.

A peça do "The Korea Herald" sustenta-se numa circular interna, uma comunicação da empresa ao seu staff. Através desse meio, o homem forte da LG terá referido que "chegou a hora de tomar uma decisão séria e fundamentada em dados", aqui pronunciando-se sobre o futuro da divisão responsável pelos smartphones da empresa.

Acima vemos o LG Wing, o smartphone Android que encarna a visão do CEO da LG com o intuito de "surpreender os consumidores", objetivo traçado no início de 2020. A intenção era reanimar o segmento de telefones e produtos para consumo de empresa.

Com grandes objetivos para 2021 e, sobretudo, para 2021, a gigante sul-coreana parece agora reverter a estratégia ao analisar o desempenho das vendas durante o último ano. A mesma LG mobile.

Apesar de atraente, o LG Wing não saiu das prateleiras, sendo uma curiosidade ofuscada pelos smartphones dobráveis da Samsung, padecendo também ele de uma utilidade dúbia com o novo formato de ecrã duplo e rotativo.

Por outras palavras, ser diferente não significa ser útil e os consumidores preferem fórmulas estabelecidas com provas dadas no mundo real.

Uma retirada completa, ou substancial redução do setor mobile

Em cima da mesa estará também uma possível redução substancial do departamento de smartphones e respetiva presença no mercado de dispositivos móveis. De qualquer modo, o CEO terá assegurado que os staff atual não veria os seus postos de trabalho em risco, garantindo a continuidade dos mesmos no seio da empresa.

Até 60% dos atuais trabalhadores no segmento de smartphones podem ser realocados para novas divisões e setores dentro da LG, bem como para as empresas sob a alçada desta. A ênfase na manutenção dos postos de trabalho é uma das prioridades.

Curiosamente, as notícias que apontam uma retirada estratégica do mercado de smartphones chegam escassos dias após a LG nos mostrar o LG Rollabe, o smartphone com ecrã rolável. Foi um dos destaques da CES 2021, com cariz experimental.

Mais de 5 anos de perdas podem ditar o fim dos smartphones LG

Segundo os dados da Statcounter a LG viu a sua quota de mercado cair para mínimos históricos em dezembro de 2020 - cerca de 1,7%. Valores míseros para um mercado extremamente competitivo e dominado pela conterrânea Samsung.

A LG tem vindo a perder terreno no mercado de smartphones há mais de cinco anos e, perante o acumular de prejuízos neste setor, a tese agora avançada é perfeitamente plausível.

Editores 4gnews recomendam:

  • MediaTek ataca Qualcomm 888 com novo processador Dimensity 1200
  • Jack Ma, fundador da Alibaba, aparece em público meses depois
  • WhatsApp Web expõe números de telefone na pesquisa Google
Rui Bacelar
Rui Bacelar
Na escrita e comunicação repousa o gosto, nas leis a formação. Ocupa-se com a atualidade tecnológica na 4gnews. Email: ruibacelar@4gnews.pt