arm_chip

Para quem não sabe a ARM trata-se de um tipo de construção ou de desenho de processadores que nasceu em 1983. Os processadores com esta construção são bastante populares nos dias de hoje devido à sua simplicidade combinada com o seu baixo consumo energético.

Em 2007 nascia o Android e empresas como a Qualcomm iam ganhando nome e prestigio graças aos desenhos dos poderosos processadores da ARM. Mas não é só a Qualcomm que beneficia desta arquitectura. Os processadores da MediaTek e até o Exynos da Samsung são baseados na construção ARM. Cada fabricante apenas modifica a mesma base, mas no final todos eles partem do mesmo.

   

Depois de vários rumores sobre o possível processador 10-core que a MediaTek pretendia criar, chega-nos mais um leak “bomba”. Imagens do que parecem ser parte dos planos da ARM para o futuro, deram-nos “um cheirinho” do que poderemos contar para os próximos processadores das grandes marcas.

ARM1

Pelas imagens podemos ver que a ARM prepara-se para apresentar 5 novos designs, todos eles foram, curiosamente, baseados em nomes ligados à mitologia Grega e Romana:

  • Ares(Deus da Guerra): Irá substituir os chips A72 e serão usados em servidores de alta qualidade e tablets grandes. Cada núcleo será capaz de usar entre 1 a 1.2 watts de potência e em principio serão constituídos por semicondutores de 10 nanómetros (nm).
  • Prometheus(Titã): Irá substituir os chips A57 e serão utilizados em futuros flagships e alguns tablets. Cada núcleo será capaz de usar entre 600 e 700 miliwatts de potência e em principio também serão constituídos por semicondutores de 10 nanómetros (nm).
  • Artemis(Deusa da caça): Irá substituir alguns chips A57 e A17 e também serão utilizados em futuros flagships e alguns tablets. Tal como o Prometheus cada núcleo será capaz de usar entre 600 e 700 miliwatts de potência e em principio serão constituídos por semicondutores de 16 nanómetros (nm).
  • Ananke(Deus do destino): Irá substituir alguns chips A53 e A17 e serão utilizados em futuros smartphones de gama média. Cada núcleo será capaz de usar entre 100 e 250 miliwatts de potência e serão compatíveis com big.LITTLE (utilização de processadores mais lentos com baixo custo energético, combinado com processadores mais potentes com elevado custo energético).
  • Mercury(Deus das mensagens): Irá substituir alguns chips A53, A7 e A5 e serão utilizados em smartphones de gama baixa e wearables. Cada núcleo será capaz de usar entre 50-150 miliwatts de potência.

 

Infelizmente, não temos qualquer informação sobre a data de lançamento destes novos chips, mas depois do sucesso que a Samsung obteve com o Exynos 7420 feito com semicondutores de 14 nm estou bastante curioso para ver o que vão ser capazes de fazer estes novos chips, principalmente, o Prometheus. Feito com semicondutores de 10 nm, que com toda a certeza lhe vão garantir uma maior eficiência tanto a nível energético como a nível de potência, terá tudo para ser um enorme sucesso.

Podem conferir aqui o resto dos planos da ARM Holdings:

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

Talvez queiras ver:

 

Diz o que tens em mente nos comentários abaixo. E que tal ajudares um projeto Português? Sabe mais

Queres ser nosso amigo? Segue-nos nos meios de comunicação.