Ingress

 

Só no ano passado, mais de 7 milhões de pessoas instalaram o jogo multijogadores de realidade alternativa, desenvolvido pela GoogleIngress – nos seus smartphones Android e IOS. Para quem não conhece, o Ingress baseia-se em portais que vão aparecendo à sua volta de acordo com a sua localização na vida real. Os portais são criados pelos “users” do jogo e, normalmente, estão localizados em estruturas históricas ou importantes reais. No início do jogo pode escolher entre dois facções, “Resistance” e “Enlightenment“,  depois é lhe mostrado um mapa simplificado do ambiente à sua volta, inspirado pelos do Google Maps, e portais perto de si. O objetivo é deslocar-se, na vida real, até ao portal e “hacka-lo” para que este passe a ser controlado pela fação a que pertencer. Ao “hackar” os portais ganha items e experiência e controlar portais é crucial para ganhar a “apanha à bandeira” que está a decorrer neste momento em todo o mundo.

   

Ingress vai receber, hoje, a maior “update” desde de que foi criado – “Missions” – que consiste em deixar os “users” construir virtuais visitas de campo utilizando um conjunto de portais ainda mais amplo de localizações reais. O mundo é o tabuleiro de jogo e temos que sair para jogar afirmou John Hanke, director do Google’s Niantic Labs. Com esta atualização pretende-se que os jogadores completem as missões ao visitarem todos os portais designados, ganhando assim experiência e crachás personalizados. A forma de como são completadas as missões é diferente, juntamente, com diferentes maneiras de interagir com os portais para além do simples “hack”. Tudo depende do que o “user” que construiu a missão pretende, assim, o jogo estará mais estruturado em termos de jogabilidade e de competição entre facções.

Uma simples forma de dinamizar os jogos, com imensos jogadores em todo o mundo, força-se, assim, as pessoas a sair de casa, conhecerem novos sítios nas suas localidades e por último e mais importante divertirem-se.

Aplicação para Android 4Gnews.pt
Windows Phone  4Gnews.pt 8 e 8.1

Fonte