IPTV Pirata: encerra-se mais uma grande plataforma de streaming ilegal

Rui Bacelar
Comentar

O flagelo do IPTV pirata na Europa e no mundo é combatido de forma cada vez mais concertada e eficaz. O mais recente caso viu a rede Beast IPTV a ser encerrada definitivamente graças aos esforços do consórcio Alliance of Creativity and Entertainment (ACE).

Com a ação legal a ser interposta nos Estados Unidos da América e no Canadá, a ACE, composta por cerca de 30 grandes empresas de entretenimento e estúdios de cinema, redobram os seus esforços no combate à pirataria, forçando o serviço a encerrar.

Encerra-se mais uma plataforma de IPTV pirata

Beast IPTV

A plataforma Beast IPTV operava em vários países, distribuindo ilegalmente conteúdo pago como canais premium e streaming de vários serviços de subscrição. Entretanto, o serviço veio a sofrer instabilidades nos seus servidores, com os utilizadores a apontar falhas no acesso à mesma, ao que agora se veio a saber.

Inicialmente com instabilidade, lentidão e impossibilidade de aceder ao serviço e fazer o pagamento mensal, com a óbvia ausência de serviço de apoio ao cliente. Por fim, deu-se um completo apagão do serviço, sintomas clássicos de uma plataforma eliminada.

No entanto, tal como avança a torrentfreak, não se sabia o porquê. Segundo esta fonte, os problemas com a plataforma Beast IPTV acumulavam-se há alguns meses, com os detalhes técnicos a serem sempre uma causa, mas dificilmente a pedra de toque.

Agora, a causa provável para o encerramento da plataforma Beast IPTV prende-se com a ação legal interposta pela ACE. O grupo de interesse terá tomado as ações necessárias para, junto da justiça, encerrar mais uma plataforma de IPTV pirata.

Ação legal obriga ao encerramento do serviço de IPTV

IPTV

Recentemente, através das redes sociais do serviço, os responsáveis deram a saber que o fim estava à vista. Um dos comunicados versava o seguinte: "A Beast IPTV foi forçada a encerrar o serviço", mensagem curta, mas esclarecedora.

Seguiu-se um comunicado mais extenso que veio reafirmar o anterior e colocar um ponto final no assunto. Na citada comunicação podia ler-se:

"Queremos fazer chegar esta mensagem a todos para que saibam que o serviço foi encerrado de vez e não voltará. Se alguém disser que o serviço Beast foi movido ou transformou-se noutra plataforma ou entidade, aconselhamos cautela ao negociar com quem afirma tal coisa. Não podemos avançar mais detalhes sobre o porquê de o serviço ser encerrado.".

A explicação é longa, e refere que os responsáveis não tiveram outra opção a não ser cancelar todas as contas dos subscritores e encerrar todos os serviços para proteger as informações dos utilizadores.

A plataforma foi intimada pelas autoridades no Canadá e EUA

"As autoridades norte-americana e canadianas intimaram-nos legalmente a encerrar todos os domínios e serviços prestados. Toda a informação dos subscritores, servidores, detalhes de faturação e aspeto do serviço foram arrestados e encerrados definitivamente".

Em síntese, vemos a aplicação das ordens judiciais à plataforma de distribuição de conteúdo através das listas de IPTV, com transmissões ilegais. Até ao momento não foram avançadas mais sanções para além das citadas previamente.

Este tipo de ações é cada vez mais recorrente, com a ACE a liderar as investidas contra as plataformas de pirataria online. Uma tendência que se manterá e crescerá em 2021, não só na América, mas também na Europa graças ao novo e vigoroso enquadramento legal avançado pela Comissão Europeia para o mercado único digital.

O encerramento das plataformas de IPTV pirata será uma tarefa árdua, mas este é o início do fim deste flagelo.

Editores 4gnews recomendam:

Rui Bacelar
Rui Bacelar
Na escrita e comunicação repousa o gosto, nas leis a formação. É na tecnologia que encontrou o seu expoente máximo e na 4gnews a plataforma ideal para a redação e produção de vídeo.