IPTV Pirata é bloqueado com novo vigor em França

Rui Bacelar
Comentar

O flagelo da IPTV Pirata continua a assolar a Europa e o Mundo, mas enfrenta uma perseguição particularmente severa no Velho Continente. Em França, as autoridades tomaram medidas musculadas que resultaram na proibição de várias grandes plataformas.

Tal como na nação vizinha de Espanha, França segue o exemplo e, de acordo com a Association de Lutte contre la Piraterie Audiovisuelle (ALPA), está em curso uma das maiores operações da história para combater o streaming ilegal de canais de TV.

França bloqueou as principais plataformas de IPTV Pirata

A ação foi anunciada pelo grupo supracitado (ALPA) que, a par do Centre national du cinéma et de l’image animée (CNC), bloquearam agora, através de ordem judicial, oito grandes plataformas a operar em França e além das suas fronteiras.

O caso chegou aos tribunais em meados de dezembro último, entrando agora em efeito. A todas as operadoras francesas é assim imposta a obrigação judicial de bloquear - impedir o acesso do utilizador - às várias plataformas de IPTV pirata a operar no país.

Entre os serviços que distribuíam canais pagos de forma ilícita estão a iptv-teli.com, king365-tv.com, king365-tv.cf, king365tv.com, ddnc.us, platinumiptv.pro, premium-itv.com, primeplus.tv, xtream.ws, y tvservice.pro. Entre si, contavam com milhões de utilizadores.

O streaming ilegal de filmes e séries persiste em todo o Mundo

IPTV

Perante o sucedido, alguns portais foram rápidos a abrir novos domínios, fintando assim o bloqueio pelas operadoras. Aliás, acima vemos o planos de preços promocional de uma das plataformas de IPTV Pirata, a teli.iptv.fr que chega a oferecer dois dias de uso grátis e três modalidades de subscrição. A partir de 18,99 € por três meses, 42,99 € por ano, ou 28,99 € por seis meses.

Esta plataforma orgulha-se de oferecer acesso a mais de 10 mil canais de televisão online, bem como uma galeria de filmes e séries dos principais serviços como a Netflix, AMC, HBO, Apple TV, com mais conteúdos a chegar à mesma.

Perante esta subterfúgio, a ALPA e a CNC prometem estar vigilantes, procurando e denunciando os novos domínios usados por estes serviços para que as operadoras os possam bloquear. É, a partir daqui, o jogo do gato e do rato.

IPTV Pirata Portugal
Mensagem apresentada em Portugal ao tentar aceder a domínios bloqueados.

Tal como vários outros serviços de IPTV Pirata, as plataformas visadas disponibilizavam o acesso barato a conteúdo pago, com centenas de canais premium, bem como o acesso a filmes e séries online, nenhuma operando de forma legal.

Note-se ainda que vários dos serviços de IPTV Pirata já vinham instalados, ou melhor, configurados, em caixas Android que o utilizador comprava. O software estava programado para dar acesso aos conteúdos mediante uma subscrição barata face às alternativas legais.

As plataformas de IPTV continuam a fintar as autoridades e operadoras

Em Portugal um método similar é implementado pelas operadoras como a MEO, NOS e Vodafone com os principais portais a estarem bloqueados. No entanto, estes entraves não impedem os interessados de utilizar uma rede privada virtual, vulgo VPN.

Pode ainda ser dito que o esforço de combate à IPTV pirata é liderado por vários grupos e associações audiovisuais, bem como os responsáveis pelos canais de desportos e conteúdos pagos que vêm as suas fontes de receita postas em causa.

Por fim, em França o grupo ALPA e os seus aliados levará a cabo ações similares contra outros serviços ilegais de IPTV. O combate será longo e pretende desgastar o utilizador, uma estratégia já dada a conhecer pela 4gnews.

O comunicado da ALPA está disponível online e pode ser consultado - em formato PDF.

Editores 4gnews recomendam:

Rui Bacelar
Rui Bacelar
Na escrita e comunicação repousa o gosto, nas leis a formação. É na tecnologia que encontrou o seu expoente máximo e na 4gnews a plataforma ideal para a redação e produção de vídeo.