Apple iPhone é a exceção neste mercado em queda durante 2020

Rui Bacelar
Comentar

O mercado global de smartphones recondicionados registou uma quebra de 9% em 2020 face aos valores de 2019. Os dados são avançados pela agência Counterpoint Research, mostrando que nem este mercado escapou aos efeitos da pandemia COVID-19.

Apenas as vendas dos Apple iPhone contrariam a tendência de queda nas vendas de smartphones recondicionados. Note-se que este mercado tem vindo a crescer à medida que o preço dos smartphones topo de gama continua a aumentar, até ao último ano.

Em 2020 o mercado de smartphones recondicionados contraiu 9%

Counterpoint Research
Percentagem diferencial entre 2020 e 2019. Crédito: Counterpoint

2020 prova ser um ano fatídico para todas as vertentes do mercado mobile, incluindo o dos smartphones recondicionados. Aliás, segundo os dados colhidos pela Counterpoint, em regiões como a América Latina a quebra chegou aos 19%.

A Europa foi a segunda região mais afetada pela contração, caindo até 14% no volume de vendas em 2020 face ao período homólogo, o ano de 2019. O país menos afetado é a nação nipónica com uma diminuta contração de 1% no mesmo período.

A quebra é tão mais dramática ao restringir o período em análise para o primeiro semestre de 2020. Com efeito, nos primeiros seis meses do ano passado a contração foi de 16% face à média registada no primeiro semestre de 2019.

O Apple iPhone foi a exceção em 2020

Apple iPhone
Os produtos Apple continuaram a ser procurados durante 2020.

Numa nota positiva, a Counterpoint aponta que nem todas as marcas foram afetadas por igual. Com efeito, a Apple aumentou a venda de smartphones recondicionados de 39% para 42%. A gigante de Cupertino não só contrariou a tendência de queda como ainda conseguiu ampliar a sua representação neste mercado

Apesar da proliferação de soluções e smartphones com suporte para a quinta geração de redes móveis (5G), as vendas de smartphones 4G LTE aumentaram, segundo aponta a agência Counterpoint no seu mais recente relatório.

O relatório volta a destacar a China como o principal mercado para os smartphones recondicionados. País que também registou uma forte quebra durante 2020, sendo afetado não só pela pandemia COVID-19, mas também pelas sanções impostas pelos EUA.

Por fim, pode ainda ser dito que a Counterpoint define smartphone recondicionado como o dispositivo que é submetido a reparações, melhorias e verificações, repondo as suas condições antes de voltar a ser vendido.

A quem quiser saber mais sobre os smartphones recondicionados, recomendamos o nosso guia com as melhores lojas, além dos cuidados a ter antes de comprar.

Editores 4gnews recomendam:

Rui Bacelar
Rui Bacelar
Na escrita e comunicação repousa o gosto, nas leis a formação. É na tecnologia que encontrou o seu expoente máximo e na 4gnews a plataforma ideal para a redação e produção de vídeo.