iPhone 11 sobrevive 6 meses debaixo de água. Conhece a história

Bruno Coelho
Comentar

Muitos smartphones chegam-nos às mãos com certificação IP68 que teoricamente lhes confere "resistência à água a 2 metros de profundidade até 30 minutos". Esse é o caso do iPhone 11, que tem aqui uma história muito mais interessante para contar.

Como noticia a CBC, um exemplar do smartphone da Apple foi encontrado no fundo de um lago Colúmbia Britânica, no Canadá. A grande novidade é que mesmo com alguns problemas, o smartphone ainda ligava mais de meio ano após estar submerso na água.

iPhone 11 encontrada estava debaixo de água desde setembro de 2020

A descoberta foi feita por Clayton e Heather Helkenberg, dois mergulhadores que partilharam o vídeo do salvamento no seu canal de YouTube “Aquatic Monkey”. Entre os objetos encontrados estavam dois telemóveis, um dos quais o iPhone 11 perdido em setembro por Fatemeh Ghodsi durante uma viagem de barco.

“Eu estava numa situação em que perdi o balanço e deixei caí-lo na água”, contou a felizarda que recebeu o equipamento de volta. À data ter-lhe-ão dito que era impossível recuperar o smartphone, sendo que regressou a Vancouver sem esperanças. Seis meses depois acabou por ser surpreendida.

“Levei-o para casa, limpei a sujidade e simplesmente ligou. Foi fantástico”, contou o mergulhador. Após receber o equipamento, a mulher revelou que apenas o microfone deixou de funcionar e os altifalantes faziam um som estranho.

Ao que parece, só em 2020, o casal Helkenberg terá encontrado debaixo de água 26 telemóveis, duas GoPro e centenas de óculos de sol. Desta vez a história foi de grande sucesso.

Editores 4gnews recomendam:

  • Apple Watch vende mais que os smartwatch Samsung, Huawei ou Fitbit juntos
  • Apple descontinua o iMac Pro. Agarra um enquanto podes
  • Xiaomi regressa ao passado? A nova ideia para um smartphone
Bruno Coelho
Bruno Coelho
Vive entre a paixão pela escrita, a música e a tecnologia. Licenciou-se em Ciências da Comunicação na Universidade da Beira Interior em 2015, e fez parte da equipa que fundou o Jornal de Belmonte. Produziu vários podcasts independentes pelo caminho. Come especificações ao pequeno-almoço.