iPhone 11 Pro Max. Câmara frontal abaixo do esperado em testes de fotografia e vídeo

Bruno Coelho
1 comentário

O iPhone 11 Pro Max apresentou-se como tendo uma das melhores câmaras num smartphone até à data. Obtendo o reconhecimento geral de quem o testou, conseguiu alcançar um modesto quinto lugar no ranking da DxOMark nos testes às câmaras traseiras.

A DxOMark revelou agora os seus testes à câmara frontal do topo de gama da Apple. O smartphone conseguiu alcançar uns (pouco) impressionantes 92 pontos, ficando-se pelo décimo lugar neste ranking.

Pontuação da câmara frontal do iPhone 11 Pro Max na DxOMark

Neste teste a DxOMark faz questão de elogiar a lente grande angular, que permite mais objeto em foco. O foco acaba por ser outro dos grandes pontos fortes de uma câmara capaz de capturar caras e fundos com grande detalhe.

iPhone 11 Pro Max é um dispositivo poderoso para selfies

Este é um dispositivo poderoso para selfies, graças à exposição de qualidade que consegue empregar no rosto. Os tons de pele revelam-se bastante fidedignos, mesmo em condições de muita luz.

Para a DxOMark, o ponto menos forte da câmara frontal do iPhone 11 Pro Max é o ruído. Nos testes, este revelou-se bastante notável em momentos onde o smartphone era usado no interior com condições de pouca luz.

Tal como em fotografias, é no ruído que os vídeos desta câmara poderão melhorar. Ainda assim, é uma das melhores opções no mercado para quem deseje fazer vlogging com o smartphone.

Os rankings da DxOMark servem apenas como um medidor, e têm um padrão definido. Restará sempre ao utilizador usar este ranking como apenas mais uma forma de avaliar uma câmara na hora de fazer uma compra.

Análise completa à câmara frontal do iPhone 11 Pro Max

Editores 4gnews recomendam:

  • Apple iOS 14: Estes deverão ser os iPhones e iPads compatíveis com a atualização
  • Apple regista uma patente que descreve um computador de sonho!
  • Apple iPad celebra 10 anos! Uma geração de dispositivos que revolucionou o mercado
Bruno Coelho
Bruno Coelho
Vive entre a paixão pela escrita, a música e a tecnologia. Licenciou-se em Ciências da Comunicação na Universidade da Beira Interior em 2015, e fez parte da equipa que fundou o Jornal de Belmonte. Produziu vários podcasts independentes pelo caminho. Come especificações ao pequeno-almoço.