Huawei vendeu equipamentos no valor de 15 milhões de dólares à Rússia

Rui Bacelar
Comentar

A Huawei terá entregue um lote não especificado de equipamentos de telecomunicações à Rússia, de acordo com uma fonte sediada na China. Com efeito, a empresa tecnológica chinesa terá expedido estes equipamentos para uma das operadoras de telecomunicações com sede na nação liderada por Vladimir Putin.

Em causa estará a operadora de telecomunicações russa VimpelCom (também conhecida como VEON), quejá teria um contrato de fornecimento de equipamentos em vigor antes do início da agressão russa à Ucrânia. Não obstante, existirá um novo contrato que carecerá ainda de aprovação pelas partes.

Fornecimento de equipamento de redes pela Huawei à operadora VEON da Rússia

Huawei Rússia

O relato foi avançado primeiramente pela publicação chinesa ITHome, dando conta dos negócios entre ambas as entidades. Esta mesma fonte afirma que os equipamentos agora entregues foram cedidos ao abrigo de um contrato prévio, apesar de um novo entendimento estar em cima da mesa, carecendo, contudo, de aprovação.

Segundo a peça em questão os equipamentos entregues estarão orçados em cerca de 15 milhões de dólares, ou cerca de 13,78 milhões de euros à atual taxa de conversão. Estas mesmas fontes afirmam que o contrato prévio fora assinado a 24 de fevereiro.

Todavia, fruto das sanções que foram, entretanto, impostas à Rússia face à invasão da Ucrânia, a entrega dos equipamentos acabaria por ser adiada para meados de abril.

Contrato prévio estará na origem da entrega dos equipamentos Huawei à Rússia

Atualmente são inúmeros os governos e países soberanos que se opõe à agressão russa ao seu país vizinho. Como tal, foram impostas várias sanções económicas à Rússia, seguindo exemplo dos Estados Unidos da América.

Recordamos que a nação norte-americana baniu as exportações de produtos de alta tecnologia para a região russa, especialmente tecnologia relacionada, ou que possa ser usada pelos departamentos de defesa, construção naval e / ou areoespacial.

Em simultâneo, foram também barradas as exportações de semicondutores, computadores, produtos de telecomunicações e das tecnologias de segurança e informação. Este bloqueio foi afirmado em fevereiro de 2022 pelo departamento norte-americano do comércio, bem como pelo departamento da indústria e segurança norte-americana.

Por fim, relembramos que também a Huawei permanece barrada pelos Estados Unidos da América, cortando-lhe o acesso a tecnologias e equipamentos norte-amercianos.

Editores 4gnews recomendam:

Rui Bacelar
Rui Bacelar
Na escrita e comunicação repousa o gosto, nas leis a formação. Ocupa-se com as novidades de tecnologia na 4gnews. Email: ruifbacelar@gmail.com