Huawei recebeu mais de 65 mil milhões de Euros do governo chinês! Motivo de desconfiança?

Filipe Alves
4 comentários

Quando a Huawei é conversa temos obviamente de falar da sua impossibilidade de negociar com empresas norte-americanas devido à sanção dos Estados Unidos.

O governo de Donald Trump referiu que a Huawei é um risco à segurança pública devido à possibilidade de espionagem do governo chinês, que tem uma forte presença no sucesso da Huawei.

Governo chinês deu mais de 65 mil milhões de Euros à Huawei

Huawei CEO
Ren Zhengfei - CEO da Huawei

Num total de 75 mil milhões de dólares, o equivalente a 67 mil milhões de Euros. Este foi o valor que o governo chinês alegadamente deu à Huawei em créditos e descontos de taxas. Isto para que a empresas chinesas conseguisse investir forte e ficar numa potência mundial.

Esta investigação é feita pelo Wall Street Journal (WSJ) e identificam que desses 75 mil milhões de dólares, 46 mil milhões são em empréstimos, 26 mil milhões em descontos de taxas e alguns outros mil milhões para "pequenos investimentos".

A resposta da Huawei à situação

A Huawei já respondeu ao artigo do WSJ indicando que a única ajuda do governo foi "pequena e imaterial". Ainda assim não negou os valores dados pelo WSJ na reportagem.

O receio de espionagem pelo governo chinês

O receio dos Estados Unidos tem razão para existir. A lei chinesa refere que qualquer empresa é obrigada a dar informações privadas ao governo caso o mesmo considere relevante para a segurança nacional.

Assim sendo, escusado será dizer que este é um problema para os seus utilizadores que nunca saberão se as suas informações estão verdadeiramente seguras ou não.

Apple teve uma situação que exemplifica o problema

Um caso idêntico aconteceu há uns anos com a Apple e o governo americano. Na altura um homicida do tiroteio de San Bernardino, foi abatido pela polícia depois de matar 14 pessoas e deixar mais 22 com ferimentos.

O governo americano pediu para que a Apple desbloqueasse o seu equipamento para saber que ligações este homicida tinha. Algo que a empresa se recusou. Isto para que, independentemente do utilizador, os clientes da Apple se sentissem seguros e que as suas informações eram impenetráveis, mesmo com o pedido do governo.

Ou seja, independentemente da situação, caso o governo chinês pedisse algo idêntico à Huawei, a marca não podia fazer rigorosamente nada sobre a situação a não ser dar os dados. Nesta situação até que não seria má ideia, porém, até que ponto é que podemos esperar que o governo chinês, conhecido pela sua soberania, use esta carta apenas em raras situações?

Em suma, a Huawei e o governo chinês tem lanços fortes. Porém, por muito que Donald Trump os acuse, não há provas dadas que existe algum tipo de espionagem por parte da Huawei para o governo chinês.

Editores 4gnews recomendam:

4 comentários
Filipe Alves
Filipe Alves
Fundador do projeto 4gnews e desde cedo apaixonado pela tecnologia. A trabalhar na área desde 2009 com passagens pela MEO, Fnac e CarphoneWarehouse (UK). Foi aí que ganhou a experiência que necessitava para entender as necessidades tecnológicas dos utilizadores.