Huawei P50 com processadores Kirin continua a ser uma forte possibilidade

Carlos Oliveira
Comentar

A Huawei estará já a pensar nos seus próximos topos de gama P50, que serão lançados na primeira metade de 2021. No entanto, ainda persistem muitas dúvidas sobre eles devido às sanções que os EUA decretaram à tecnológica chinesa.

O acesso aos processadores Kirin é ainda uma incerteza para os Huawei P50, mas parece que a chinesa vai mesmo usar o Kirin 9000 nestes equipamentos. Pelo menos é aquilo que um novo relatório afirma.

Huawei P50 com processador Kirin 9000 será a escolha

Durante vários meses especulou-se que a Huawei poderia não ter unidades suficientes do seu novo processador topo de gama para os Huawei P50. Nesse sentido, a empresa começou a procurar alternativas, chegando mesmo a equacionar a transição para os processadores da Qualcomm.

Huawei

Mas parece que a Huawei poderá mesmo utilizar o Kirin 9000 - lançado com o Huawei Mate 40 Pro - nos seus próximos topos de gama. Não sabemos se isto é resultado do inventário construído pela empresa ou se ela está confiante na retoma dos seus negócios com a TSMC.

Importa relembrar que, há algumas semanas, foi referido que a TSMC havia conseguido uma autorização especial dos EUA para retomar a sua parceira com a Huawei. Contudo, na altura foi mencionado que a asiática não poderia fornecer à Huawei produtos relacionados com 5G, o que, teoricamente, exclui o Kirin 9000.

Samsung e LG também vão colaborar com a Huawei

O mesmo relatório da Elec afirma que a Huawei irá socorrer-se da Samsung e da LG para os ecrãs dos Huawei P50. Ambas as empresas sul-coreana deverão conceber os ecrãs OLED de que poderemos usufruir nos próximos topos de gama da chinesa.

Uma vez mais, esta colaboração está dependente de uma licença especial concedida pelos EUA. A Samsung Display já conseguiu essa autorização em outubro e tudo indica que a LG tenha ou esteja próxima de conseguir a mesma façanha.

A Huawei tem sido gradualmente brindada com boas notícias que a permitem manter-se relevante no mercado dos smartphones. Tudo indica que a produção destes equipamentos continuará a ser uma realidade para a empresa.

No entanto, continua a não conseguir aceder aos serviços da Google, algo muito importante para o seu sucesso na Europa. Veremos se a nova administração americana, liderada por Joe Biden, permitirá inverter esse cenário.

Editores 4gnews recomendam:

Carlos Oliveira
Carlos Oliveira
Tendo já passado por várias casas, a 4gnews é aquela que me segura desde 2015. Com um desejo insaciável de me manter atualizado tecnologicamente, a partilha desse conhecimento é apenas o seguimento natural das coisas.