Huawei olha para a MediaTek como única solução! Entende

Filipe Alves
1 comentário

A Huawei está cada vez mais a olhar para a MediaTek como uma solução para os seus smartphones. Depois da situação em que estão, a empresa asiática está com sérias dificuldades para encontrar parceiros de negócio.

Primeiramente, Donald Trump, Presidente dos EUA, baniu as empresas americanas ce negociar com a Huawei. Logo depois, ameaçou outras empresas de irem no mesmo caminho da Huawei se a ajudassem em alguma forma.

Huawei certifica um novo smartphone com processador MediaTek

Huawei Nova SE MediaTek

O novo Huawei Nova 7SE será um smartphone que abandonará os processadores Kirin (feitos pela Huawei) para implementar o processador Dimensity 800U da MediaTek.

Isto porque a Huawei está com dificuldades em conseguir componentes para fabricar os seus chips. A Samsung e a SK Hynix eram fabricantes que forneciam chips e ecrãs e que já reportaram que o deixarão de fazer nos próximos dias.

MediaTek não é solução a longo prazo para a Huawei

Huawei MediaTek

Contudo, nem a MediaTek é uma solução a longo prazo para a Huawei. Isto porque a fabricante também não quer ver os seus produtos barrados nos EUA.

Ou seja, se a fabricante vende milhões de processadores para fabricantes como Xiaomi, Sony, LG ou até (nos próximos tempos Samsung), não se quer arriscar a deixar de conseguir exportar para os EUA onde muitos desses smartphones são vendidos. Ou seja, a "única solução da Huawei" está por um fio porque não é propriamente uma solução.

O novo smartphone Huawei Nova 7 SE chegará com um processador MediaTek. Pelo menos disso temos a certeza porque passou em entidades reguladoras mobile. Resta-nos saber como serão os próximos dispositivos intermediários e topos de gama.

Editores 4gnews recomendam:

Filipe Alves
Filipe Alves
Fundador do projeto 4gnews e desde cedo apaixonado pela tecnologia. A trabalhar na área desde 2009 com passagens pela MEO, Fnac e CarphoneWarehouse (UK). Foi aí que ganhou a experiência que necessitava para entender as necessidades tecnológicas dos utilizadores.