Huawei não é a única a sofrer com a guerra comercial entre China e EUA

António Guimarães
Comentar

A iRobot, famosa pelos seus aspiradores inteligente Roomba, registou uma queda vertiginosa de 20% na bolsa. Esta queda foi o resultado das fracas vendas em agosto e setembro, reveladas no relatório do terceiro trimestre do ano.

O impacto é mais notório nos Estados Unidos, o país de origem da empresa. A iRobot recentemente aumentou os preços dos seus produtos no território norte-americano, em resposta ao aumento de 25% nas taxas de importação e exportação entre a China e Estados Unidos.

O próprio CEO da iRobot, Colin Angle, apontou a guerra comercial como fator principal para o decréscimo das vendas. Angle afirma que a empresa está a fazer tudo o que pode para continuar a providenciar produtos de qualidade, apesar do aumento de preços. O CEO acrescentou que o crescimento de mercado da maioria das empresas nos EUA será afetado por esta disputa.

Huawei é provavelmente a maior vítima da guerra comercial

O ano de 2019 não está a ser nada fácil para a Huawei. A gigante chinesa tem vindo a testemunhar a destruição da sua estratégia de negócio em telemóveis por causa da guerra comercial entre os Estados Unidos e a China. Esta situação teve mais impacto no verão, quando os EUA proibiram a Huawei de comprar tecnologia a empresas americanas.

Foi aí que começaram os maiores problemas da Huawei. Sem a possibilidade de negociar com empresas americanas, a fabricante viu-se impossibilitada de garantir o sistema operativo Android para os seus equipamentos. A linha Mate 30 foi a primeira a ser afetada, visto que ainda se aguarda um lançamento geral internacional.

Editores 4gnews recomendam:

Comentar
António Guimarães
António Guimarães
Juntamente com os seus atuais companheiros Mi A2 e Surface Go, batalha para elucidar as massas sobre todos os acontecimentos da esfera tecnológica. "Informação é poder" é a frase que o acompanha diariamente. Talvez um dia a coloque numa t-shirt.