Huawei Mate 40 será o último com processador Kirin. E agora?

Carlos Oliveira
Comentar

A Huawei não tem tido vida fácil depois de os EUA a terem colocado na sua lista negra. Depois de todos os impedimentos no que toca a software, a última ordem assinada por Donald Trump dificulta ainda o acesso da empresa a novos processadores.

Essa dificuldade foi recentemente admitida por um executivo da Huawei. Yu Chengdong revela que a empresa deixará de produzir os seus processadores Kirin, o que significa que os Huawei Mate 40 serão os últimos a usar o SoC da empresa chinesa.

Se estás a pensar comprar um Huawei Mate 40 fica descansado, pois, estes ainda virão com o próximo Kirin topo de gama. Daí para a frente é que o futuro é cada vez mais incerto para a chinesa.

Mate 40 Pro

Huawei não tem onde construir os seus processadores

A última ordem executiva de Donald Trump impede que qualquer empresa com tecnologia americana forneça produtos à Huawei sem o consentimento dos EUA. Embora sediada em Taiwan, a TSMC (que constrói os processadores para a Huawei) utiliza tecnologia americana nas suas linhas de produção.

Sendo praticamente inevitável que os EUA recusem essa autorização, a Huawei ficará sem um local onde produzir em massa os seus Kirin. Algo que terá efeitos a partir de 15 de setembro, permitindo à empresa assegurar apenas as unidades necessárias para a comercialização dos Mate 40.

Qual o futuro da Huawei no que respeita a processadores?

A hipótese mais credível para a Huawei seria usar os processadores da MediaTek, pois estes são desenvolvidos apenas com tecnologia chinesa. Contudo, parece que a empresa asiática não consegue satisfazer as necessidades da Huawei.

A Samsung chegou a aparecer como uma possibilidade para resolver o problema da sua rival. Mas últimas informações dão conta de que essa possibilidade está já fora da mesa.

Dito isto, o futuro da Huawei parece sombrio relativamente ao fornecimento de processadores para os seus produtos. Teremos de esperar mais alguns meses para perceber qual será a solução encontrada pela empresa.

Editores 4gnews recomendam:

Carlos Oliveira
Carlos Oliveira
Tendo já passado por várias casas, a 4gnews é aquela que me segura desde 2015. Com um desejo insaciável de me manter atualizado tecnologicamente, a partilha desse conhecimento é apenas o seguimento natural das coisas.