Huawei: instalação de equipamentos 5G proibidos após setembro de 2021

Rui Bacelar
Comentar

As operadoras de telecomunicações britânicas estão impedidas de instalar novos equipamentos e infraestruturas de redes 5G no Reino Unido a partir de setembro de 2021. A notícia é avançada pela agência Reuters e agrava a posição da fabricante chinesa no Ocidente.

Esta medida está enquadrada num esforço geral de purga dos equipamentos desta fabricante chinesa das redes móveis de alta velocidade. Por outras palavras, o Reino Unido não quer nenhum sinal da Huawei nas suas redes móveis de quinta geração.

A Internet de quinta geração no Reino Unido não contará com a Huawei

Após vários anos a cultivar a sua posição e reconhecimento junto dos utilizadores na Europa e em todo o Ocidente, a Huawei está em severa retração não só do mercado mobile europeu, mas sobretudo do próximo salto tecnológico, as redes 5G.

Recordando que as ordens no Reino Unido são para que todo o equipamento Huawei seja removido da sua rede móvel 5G até ao final de 2027. Imposição que vai ao encontro da posição perfilhada pela nação aliada dos Estados Unidos da América. Para esta, os equipamentos de redes da fabricante chinesa constituem um risco de segurança.

De igual modo, as operadoras de telecomunicações foram impedidas de comprar novos Kits 5G após o final deste ano. Desse modo, esperam os legisladores, que as empresas prestadoras de serviços não deverão ficar com stock sobrante até ao final de 2027.

As operadoras consideram viável uma alternativa à Huawei

Algumas operadoras já vieram a público afirmar que começarão a distribuir equipamento alternativo a partir do próximo ano, legitimando assim a imposição governamental. Para as empresas envolvidas, o prazo estipulado é "tolerável".

Entretanto, a China tem criticado a posição do Reino Unido, ao passo que a Huawei afirmou estar desapontada co a administração britânica na passada semana. A exclusão da fabricante dos equipamentos e infraestruturas 5G do país já havia sido divulgada, mas agravou-se com um novo pacote de legislação que prevê multas pesadas caso as operadoras violem a restrição.

A Ericsson e a Nokia são a alternativa à Huawei

O governo do Reino Unido aposta agora numa estratégia diversificada para atrair novos investidores e fabricantes para a revolução do 5G, com fornecedores de diferentes nações. Entre as principais interessadas encontram-se a japonesa NEC.

Até ao momento, várias operadoras britânicas como a Vodafone, BT e a Three lançaram o padrão 5G utilizando equipamentos da Huawei na infraestrutura de redes. No entanto, a troca para alternativas da Ericsson e Nokia já foi feita.

Mais ainda, o governo estipulou que até ao dia 28 de janeiro de 2023, a presença da Huawei nas redes e infraestruturas do país não pode ultrapassar os 35%. Visando aqui, sobretudo, as redes gigabit e serviço de internet via fibra ótica.

Editores 4gnews recomendam:

  • POCO volta a dizer-se independente da Xiaomi. Números impressionam
  • Xiaomi POCO M3 é oficial: rei dos gama-baixa chega com preço irresistível
  • Motorola lança smartphone barato com excelente autonomia. Mas será arrasado pelo POCO M3!
Rui Bacelar
Rui Bacelar
Na escrita e comunicação repousa o gosto, nas leis a formação. É na tecnologia que encontrou o seu expoente máximo e na 4gnews a plataforma ideal para a redação e produção de vídeo.