Huawei e ZTE em mais sarilhos! Fabricantes banidas da tecnologia 5G na Suécia

Filipe Alves
1 comentário

A Huawei e ZTE estão a passar um mau bocado. Depois do drama existente com a Huawei nos EUA, é a vez da Suécia bater o pé e dizer que não quer que as fabricantes se envolvam na sua rede de 5G.

Os motivos são os mesmos. Receio de espionagem pelo governo chinês. Lembro que uma fabricante chinesa é obrigada por lei a fornecer informações ao governo quando solicitada.

Suécia diz não à Huawei e ZTE

Huawei logo

Não sabemos se há provas face estas decisões. Sabemos apenas que o governo norte-americano tem insistido com os países aliados e ter cuidados com a Huawei.

Aliás, ainda há pouco foi dito pelos EUA que Portugal tinha de tomar uma decisão. Se ficava com a Huawei, ou se continuaria a confiar nas informações e instintos do governo norte-americano.

Huawei já respondeu a esta situação

A Huawei não demorou muito a responder à situação. Num comunicado oficial, responsáveis da Huawei referiram-se em "choque" devido à tomada de decisão.

Apontando ainda que "A Huawei nunca representou a menor ameaça à cibersegurança da Suécia, e nunca o fará. A exclusão da Huawei não tornará a rede 5G da Suécia mais segura. Ao contrário, a competição e a inovação serão severamente prejudicadas". A marca apontou ainda que irá avaliar com o governo sueco formas de assegurar que a fabricante joga pelas linhas legais.

Contudo, a situação continua num impasse. São muitos os países que já disseram que não querem a Huawei como responsável máximo na implementação do 5G.

Portugal continua com o mesmo plano. Ou seja, a utilização de serviços e infraestruturas da Huawei na evolução tecnológica do 5G. Teremos de esperar para perceber quais serão os impactos. Se é que teremos alguns.

Editores 4gnews recomendam:

Filipe Alves
Filipe Alves
Fundador do projeto 4gnews e desde cedo apaixonado pela tecnologia. A trabalhar na área desde 2009 com passagens pela MEO, Fnac e CarphoneWarehouse (UK). Foi aí que ganhou a experiência que necessitava para entender as necessidades tecnológicas dos utilizadores.