Huawei admite que não vai conseguir ser a fabricante número um em 2019

António Guimarães
Comentar

Um dos executivos mais importantes da Huawei, Shao Yang, admitiu hoje à Reuters que o objetivo de chegar a fabricante número um de telemóveis vai demorar mais do que previsto. A Huawei é atualmente a segunda maior fabricante, após ultrapassar a Apple em 2018.

A Samsung continua em primeiro lugar com a Huawei no seu encalço nos últimos meses. Yang afirma que a Huawei "teria chegado a número um no final de 2019". Contudo, o executivo não mencionou a razão óbvia para este obstáculo.

A guerra EUA vs China prejudicou a Huawei, por mais que não queiram admitir

Esta controvérsia começou no final de 2018 quando os Estados Unidos mandaram prender a filha do fundador da Huawei, Meng Wanzhou. No início do ano, a Huawei afirmou que podia sobreviver sem o mercado norte-americano.

Desde então sem sido uma bola de neve onde países como Austrália, Japão, Canadá e Alemanha negaram o desenvolvimento das tecnologias 5G por parte da Huawei nos seus territórios.

Toda esta situação culminou no mês passado, quando a China e os Estados Unidos entraram em conflito por causa das condições comerciais impostas e taxas alfandegárias de produtos.

Entretanto o governo americano emitiu uma ordem que proíbe empresas americanas de fazer negócio com a Huawei, a maior empresa de telecomunicações da China. Isto gerou uma perda de negócio enorme, com empresas como Intel, Microsoft, ARM e até mesmo a própria Google.

A Huawei está a fazer de tudo para se tornar 'independente'

Temos que dar mérito à Huawei pois poucas empresas conseguiriam manter-se firmes com tanta controvérsia. Há umas semanas, o fundador da empresa disse que a Huawei já se tem vindo a preparar para esta situação há algum tempo.

Uma das medidas é a criação do seu próprio sistema operativo, que poderá chegar ainda este ano. Dessa forma, a Huawei liberta-se de uma vez por todas da Google e até pode causar uma mudança positiva no mercado, providenciado uma alternativa à Play Store.

Contudo, a informação a reter aqui é: caso tenhas um telemóvel Huawei, irás continuar a usufruir do Android e de todas as suas características. O término das licenças Android só irá afetar telemóveis futuros.

Sabe mais sobre a situação Huawei:

Comentar
António Guimarães
António Guimarães
Juntamente com os seus atuais companheiros Mi A2 e Surface Go, batalha para elucidar as massas sobre todos os acontecimentos da esfera tecnológica. "Informação é poder" é a frase que o acompanha diariamente. Talvez um dia a coloque numa t-shirt.