Honor V40 passará a usar processadores da MediaTek

Carlos Oliveira
Comentar

Recentemente, a Huawei desfez-se da sua sub-marca Honor num negócio que envolveu cerca de 15 mil milhões de dólares. Estando agora a Honor fora da alçada da gigante chinesa, já era de prever que algumas coisas mudassem nos seus dispositivos.

A primeira mudança de fundo parece estar já determinada e está relacionada com o coração dos smartphones. Segundo o conhecido leaker Digital Chat Station, a linha Honor V40 será totalmente suportada por processadores da MediaTek.

Nova Honor vira-se para a China e vai usar os processadores da MediaTek

Uma das razões que terá levado a Huawei a vender a Honor terá sido as restrições decretadas pelos EUA. Com unidades limitadas dos seus próprios processadores Kirin, a Huawei quis focar-se nos equipamentos com a sua marca.

Honor 40

Por isso, já seria de esperar que o futuro da Honor não passaria pelos Kirin. Isso abriu a porta ao uso dos processadores Snapdragon, mas esse não parece ter sido o caminho escolhido pela nova dona da Honor.

Assim sendo, a primeira linha de smartphones Honor fora do domínio da Huawei usará apenas processadores desenvolvidos pela MediaTek. Componentes que apesar das desconfianças ainda enraizadas, sobretudo nos mercados ocidentais, têm-se mostrado relevantes e capazes nos últimos meses.

Honor V40 chegarão apenas em 2021

A linha V da Honor costuma ser apresentada no final de cada ano, porém, a mudança de gerência originou também uma mudança de calendário. Com a transição para o conglomerado Shenzhen Zhixin New Information Technology Co. Ltd, o lançamento destes equipamentos terá sido adiado para janeiro de 2021.

A ser isto verdade, não tardará até que mais detalhes sobre estes equipamentos venham a público. Acredito que esta linha gerará mais interesse no mercado que anteriormente devido à mudança de gerência e o que isso implicará nos seus equipamentos.

Editores 4gnews recomendam:

Carlos Oliveira
Carlos Oliveira
Tendo já passado por várias casas, a 4gnews é aquela que me segura desde 2015. Com um desejo insaciável de me manter atualizado tecnologicamente, a partilha desse conhecimento é apenas o seguimento natural das coisas.